O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), se posicionou contrário ao voto de repúdio ao presidente Bolsonaro (PSL), proposto pela deputada estadual Estela Bezerra (PSB) e avisou que não corroborará com a propositura, sobretudo para evitar conflitos com o governo federal.

O parlamentar lembrou que o presidente tem uma personalidade agressiva e, para o Estado e aconselhou os colegas a aprenderem a viver com a personalidade do atual presidente da República para que a Paraíba não perca mais do que já pedeu.

“Me perdoem a franqueza, mas eu tenho dúvida se ele é normal. Falta pelo menos um parafuso ali. Pode não ser esse parafuso grande, mas está faltando algo ali, então, devido a situação da personalidade dele, acho que a gente tem que procurar uma maneira de conviver, porque só quem perde é a Paraíba e os paraibanos”, ressaltou.

Galdino justificou seu posicionamento a fim de preservar o legislativo paraibano. Ele disse que continua sendo oposição ao Governo, que se as eleições fossem hoje voltaria a ser contra Bolsonaro, todavia, na atual conjuntura, o que resta a Paraíba é buscar o diálogo para que ele possa cumprir com as obrigações inerentes ao cargo que ocupa.

“Não conta com o meu voto e não conta com a minha solidariedade. Eu não tenho intenção nenhuma de afrontar ainda mais a Casa Legislativa que eu comando com o resto do país com o presidente Bolsonaro. Todos sabem que votei contra ele, se a eleição fosse hoje eu continuaria votando contra ele, mas acha que nesse momento nós precisamos buscar meios e formas para que ele possa cumprir com suas obrigações com a Paraíba e com os paraibanos”, disse.

 

OUÇA

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Detran-PB reprova mais 59 veículos escolares durante vistoria

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) e o Ministério Público da Paraíba (MPPB) deram continuidade, nesse fim de semana (dias 15 e 16), às vistorias do primeiro semestre de 2020, para…

Reforma administrativa deve ser apresentada ao Congresso nesta semana

De acordo com Bolsonaro, o texto vai limitar a estabilidade dos novos servidores, mas não altera o benefício de quem já está trabalhando No que depender do presidente Jair Bolsonaro,…