A tarde já findava quando sentei para escrever. À minha frente, uma “folha” digital em branco. Respiração ofegante, ansiedade acentuada e um turbilhão de dados sobre o avanço do novo coronavírus no Brasil e no mundo. Tudo isso e um pouco mais vem deixando o meu ser inquieto. Efetivamente é difícil manter-se emocionalmente estável por estar em quarentena. Longe do sol, da boa brisa, dos gestos carinhosos vindos do próximo.

Nada, nada de beijos. Aperto de mão e até mesmo o estresse salutar do cotidiano. Tudo foi “congelado” e a terra parou. Hoje estática, apenas os movimentos de rotação e translação vigoram em nosso estimado planeta. Algo está acontecendo. Algo histórico, cujos atores somos nós, seja na alegria ou na tristeza. Na riqueza ou na pobreza. Todos nós “casamos” com a realidade atual do medo, insegurança e muitas, muitas incertezas.

E nesse contexto, hoje saiu um pouco da política, da geopolítica e assuntos correlatos para falar, expressar, escrever que, mesmo estando muitas vezes amargurado, sou grato pela vida. Pelos exemplos de solidariedade que testemunho a cada segundo. O cuidado do ser com o ser humano. O cuidar do próximo; e isso é belo. É o que me dá a força necessária para viver uma rotina entre quatro paredes que passaram a ser fiéis escudeiras do meu bem-estar, da minha família e do próximo.

Hoje percebo que, mesmo na clausura, nas minhas memórias do “cárcere”, voltar a ler Graciliano Ramos me dá a sobrevida necessária para retornar à normalidade tão logo essa epidemia finde. O isolamento social se faz necessário. É verdade! Daí a necessidade de criar mecanismos efetivos para driblar seus efeitos colaterais.

Transformar a casa em academia, em biblioteca, no altar mágico e divino para se conectar com Deus, fazer do lar hoje “trancafiado” não em prisão e, sim, numa extensão do corpo e mente. Ações mínimas para suportar a saudade dos amados que não posso visitar.

E nesse mar de emoções, uma montanha russa de sentimentos, saber utilizar as redes sociais para discutir assuntos amenos é outro canal para minimizar as tensões. Sim! Sou forte e você também. Digo que estou ao teu lado e você, bem aqui está.

Esse é o segredo. Emanar boas vibrações; energia positiva, a fim de transformar Newton e seu princípio da ação e reação em algo bom e palatável.

Por fim, digo que aquela ansiedade que relatei no início do texto foi amenizada. A respiração voltou a “pulsar” de forma contínua e ajustada. O turbilhão de dados que me afligia foi transformado em ideias; oportunidades para o bom saber. Agora sorrio. E você?

E aqui fica meu convite coletivo para sorrirmos juntos, pois tudo isso vai passar, não resta dúvida alguma!

Sigamos embarcados nessa bela nau chamada VIDA!!!!!

 

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Prefeito de Cuité de Mamanguape e mais dez são denunciados por integrar Orcrim

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) ingressou com uma denúncia junto ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) contra integrantes de uma organização criminosa (Orcrim) que foi instalada na Prefeitura…

‘Feriadão’: em CG, empresas que desrespeitarem o Decreto poderão ser atuadas

O Decreto Municipal nº 4.483 de 28/05/2020 publicado pela Prefeitura de Campina Grande traz alguns critérios de funcionamento para as empresas consideradas como serviços essenciais, no período compreendido entre 30…