Por Wellington Farias

Cícero Lucena sempre foi citado como o prefeito de João Pessoa mais generoso com essa tropa de empresários do setor de transportes coletivos, que deitam e rolam sobre os governos e mais governos.

Lembremos que, numa das suas gestões, como prefeito de João Pessoa, cometeu a barbaridade de autorizar uma antecipação de (pasmem!) vinte anos da concessão pública ao setor de transportes.

Ou seja: a galera empresarial poderia deitar e rolar, porque já tinha vinte aninhos de concessão garantida.

A troco do que? Não se sabe. Mas sabe-se que não existe almoço de graça…

Para se ter uma ideia, se a concessão outorgada por Cícero tivesse vingado, até hoje, 16 anos depois da ausência do atual prefeito na vida pública, o setor de transportes ainda estaria usufruindo da benesse oficial.

A coisa foi assim tão escandalosa que, ao que me lembro, terminou não vingando, face à péssima repercussão que teve.

Novo

Mas este Cícero Lucena que João Pessoa elegeu desta vez, certamente é um Cícero mais calejado, experiente, melhorado, que passou por agruras que marcaram profundamente a sua vida e a vida de sua família. Cícero, portanto, deve ter no seu íntimo, o desejo real de fazer a melhor gestão de sua história.

Até para provar que o que lhe fizeram foi uma tremenda injustiça. Nem Ricardo Coutinho, com aquele seu jeito, conseguiu dobrar esse povo dos transportes coletivos.

Argumentos

O prefeito Cícero Lucena pode lançar mão de um leque de argumentos não só para negar qualquer pedido de aumento, mas, também, exigir um serviço de transporte mais eficiente e confortável para os usuários.

Vamos apenas a alguns deles: Pra começar os coitados dos barnabés da Prefeitura de João Pessoa não tiveram e nem terão tão cedo um centavo de aumento de salário; da mesma forma o trabalhador do setor privado que, além de não ter aumento, em parte perdeu seus empregos face à pandemia que se abateu sobre o mundo.

Além disso, num cenário de tantas dificuldades, a carga de prejuízo e as duras consequências são muito maiores sobre o lombo do trabalhador do que dos empresários de transportes.

E mais: faz muito tempo que o setor de transportes coletivos de João Pessoa está defasado no tocante a qualidade dos serviços e da frota.

O que costumamos ver são ônibus apinhados de gente, sob sol causticante e sem ar condicionado. Andar de ônibus em João Pessoa entre às 11h e 17h não é tarefa para qualquer um, é desafio dos grandes.

Portanto, já passou da hora de o poder público olhar mais para as condições dos usuários do que se preocupar com a ganância sem limite do empresário sempre indisposto a oferecer alguma contrapartida com base naquelas planilhas de custo bastante duvidosas…

Por Wellington Farias

Notícias relacionadas

Após reunião com prefeitos de JP, CG e entidades na PB, João deve anunciar medidas mais rígidas, mas sem lockdown

O governador João Azevêdo se reuniu, neste domingo (7), por meio de videoconferência, com representantes dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Assembleia…

Mega Sena: ninguém acerta e prêmio vai a R$ 27 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.350 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (6) em São Paulo. O prêmio acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 25 – 28 – 29 –…