Por pbagora.com.br

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer o afastamento de todas as autoridades envolvidas na confusão na Central de Polícia em João Pessoa, registrada  na última sexta-feira (25), entre advogados e delegados.

“Além das graves violações praticadas pela autoridade policial nominada, o caso teve desdobramentos mais graves, com ameaças por telefone, agressões físicas e prisões arbitrárias praticadas por outras autoridades policiais”, diz trecho da nota, assinada pelo presidente do órgão, Felipe Santa Cruz.

Conforme a nota, as autoridades agiram como justiceiras e desrespeitaram a lei, a advocacia e a dignidade das pessoas. “Não passarão impunes”, diz o documento.

O caso ganhou repercussão nacional e foi divulgado nos principais sites sobre Justiça e Direito do país, além das redes sociais.

Confira nota na íntegra:

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil adotará todas as medidas urgentes e necessárias para reparar o ocorrido na cidade de João Pessoa, onde advogados e advogadas, dentro de delegacias de polícia, foram privados de suas prerrogativas profissionais e ofendidos com palavrões desferidos pela delegada de polícia Viviane Magalhães.

Além das graves violações praticadas pela autoridade policial nominada, o caso teve desdobramentos mais graves, com ameaças por telefone, agressões físicas e prisões arbitrárias praticadas por outras autoridades policiais.

O regime de exceção ao Estado Democrático de Direito promovido por algumas autoridades policiais paraibanas, tudo gravado e exibido ao vivo pelas redes sociais, é inadmissível, surreal. Autoridades atuando como justiceiras, em total desrespeito à lei, à advocacia e à dignidade da pessoa humana não passarão impunes.

Um Brasil melhor, mais justo, livre e solidário passa pela punição de pessoas que ainda ousam desrespeitar o direito de defesa de cidadão e, com ele, as prerrogativas da advocacia.

Irmanado e sob o comando da Seccional da OAB do estado da Paraíba, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil trabalhará para afastar imediatamente as autoridades responsáveis pelas agressões, indignas do exercício das funções de delegados de polícia.

E prosseguirá com todas as medidas administrativas e criminais para ver punidos os que desrespeitaram a advocacia e os representantes do sistema de prerrogativas da OAB da Paraíba.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Monitor de Secas registra aumento da área com seca e sua intensidade na PB em setembro

Entre agosto e setembro, parcela do território paraibano com o fenômeno saltou de 46,03% para 61,07%. Fenômeno também se intensificou com a elevação da área com seca moderada de 7,67%…

Justiça atende ação do MPPB e determina que hospital da Facene/Famene corrija irregularidades

A 1ª Vara Civel de João Pessoa deferiu a liminar de tutela de urgência requerida pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) e determinou que o Hospital Universitário Nova Esperança efetue…