Por pbagora.com.br

Em toda a Paraíba há um sentimento latente de grande parte da população, de que poderemos ter uma retomada do crescimento dos números inerentes ao coronavírus: contaminação e mortes. Seria uma nova onda, sendo esta possibilitada com as tais medidas de flexibilização.

Este sentimento, diga-se de passagem, não carece de fundamento e, até certo ponto, traduz as expectativas das autoridades da saúde. Senão vejamos: o próprio secretário de saúde do Estado, Geraldo Medeiros, deu declarações que precisam ser levadas em consideração pelo conhecimento de causa. Disse o secretário: “Não adianta se iludir. Qualquer flexibilização implica daqui a 15 dias em um maior número de casos. O nosso objetivo é que possamos ter aumento de casos de uma maneira controlável sem haver o colapso da rede pública. A vacina vai demorar, e é o único meio de controlar esse vírus. Então, por isso, faremos uma intensa campanha na próxima semana de conscientização e de obediência aos protocolos para que tenhamos um aumento de casos, mas de forma controlável”.

Casos concretos
Em algumas cidades da Paraíba já houve aumento de casos da covid-19 desde que os poderes públicos cederam às pressões e começaram a flexibilizar o distanciamento social. A simples divulgação de notícias sobre as novas medidas de afrouxamento gradual notoriamente gerou em parte da população o sentimento de que o vírus está indo embora, como se a pandemia estivesse chegando ao fim.

Ledo engano
Ilusão total: na minha cidade de Serraria, onde me encontro enclausurado, foi feito um trabalho preventivo altamente eficiente, com barreira sanitária rigorosa e fiscalização e acompanhamento de suspeitos de contaminação, além daqueles que chegavam de viagem à cidade.

Pois bem, depois de anunciadas as medidas de flexibilização, notoriamente induzida pelo noticiário a respeito, a cidade praticamente voltou ao normal e os números de casos confirmados dispararam, sobretudo, do último final de semana para cá.

Quando ainda havia controle, no dia 4 de julho, por exemplo, em Serraria havia 27 casos confirmados. Até o dia 8, chegou-se a 34. A partir do dia 9, quando a cidade começou a se movimentar, os números dispararam com aumentos diários de casos confirmados, a saber: dia 9 de julho, 39 casos confirmados; no dia seguinte aumentou para 43; no dia 12, 44 casos; no dia 13 pulou para 59; e nesta terça 14, chegaram 65.

Enquanto esta coluna estava sendo digitada, ainda não havia saído o novo boletim, mas na pequenina cidade de Serraria já se comentava que provavelmente novos casos serão confirmados.

Distanciamento
Não há remédio preventivo para o coronavírus; não existe vacina. Portanto, só existe uma forma de evitar a propagação do vírus, o isolamento social. O resto é conversa para boi dormir.

Repetindo: em tempos de pandemia não existe cenário bom para ninguém, e ninguém é culpado pelos casos confirmados. A não ser, claro, aquelas autoridades que têm responsabilidade de promover a saúde pública, mas que ignoram e até desdenham do inimigo invisível e letal.

Estamos assistindo a um processo gradual de flexibilização, com toda certeza, adotado sob pressão dos mais poderosos setores econômicos. Mas ninguém se iluda, a economia tem recuperação, as vidas perdidas não.

Quem viver verá. A flexibilização vai causar um aumento assustador nos casos da covid-19.

 

Wellington Farias
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Estado recomenda que atividades educacionais permaneçam remotas na PB

O Governo da Paraíba divulgou neste fim de semana a 5ª avaliação do Plano Novo Normal para Paraíba, que passa a vigorar na próxima segunda-feira (10). Dos 223 municípios, 191…

Goiás x São Paulo é suspenso pelo STJD após casos de covid-19

A partida deste domingo entre Goiás e São Paulo, marcada para acontecer neste domingo, às 16h (de Brasília), no estádio Hailé Pinheiro, em Goiânia, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro,…