Por pbagora.com.br

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa da paraíba, Adriano Galdino (PSB), revelou as suas expectativas para a volta dos trabalhos parlamentares na Casa de Epitácio Pessoa, nesta quarta-feira (05).

De acordo com Galdino, a exemplo de 2019 que foi um ano bastante produtivo, ele espera que 2020 seja de bastante compromisso dos parlamentares com a Paraíba e com as pautas que beneficiarão os paraibanos.

“A expectativa é muito positiva. Tivemos um ano de 2019 com muita produtividade, com muito compromisso com a Paraíba, e com os paraibanos. Os deputados mostraram muita força, muita determinação e demos a nossa contribuição por uma Paraíba melhor e mais justa para todos e esse ano não vai ser diferente. Queremos mais uma vez competitividade, transparência, competência para que possamos construir um Estado melhor” declarou.

Com relação a harmonia entre os poderes, o presidente destacou que mais uma vez se pautará pelo diálogo, para que juntos os poderes possam encontrar soluções para os problemas que a Paraíba possui.

“Vamos procurar o diálogo permanente entre os poderes. É uma obrigação constitucional e nós precisamos estar juntos, dialogando, ouvindo, aprendendo e ensinando também para que juntos possamos encontrar as soluções para os grandes problemas que têm a nossa Paraíba” detalhou.

Por fim, Galdino destacou que continuará a buscar a aproximação entre a ALPB e a população sobretudo com as sessões itinerantes.

“Com toda certeza. As sessões itinerantes irão continuar” concluiu.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João assina contrato com Banco Mundial e assegura investimentos de US$ 207 milhões

governador João Azevêdo assinou, nesta quarta-feira (2), no Palácio da Redenção, em João Pessoa, durante reunião virtual com representantes do Banco Mundial no Brasil, o contrato de empréstimo entre o…

OPINIÃO: Acordos e palavras empenhadas para 2022 têm o valor de risco n’água

Acordos políticos selados em 2020 com projeção para 2022 têm a consistência de um risco n’água. Ou seja, não valem nada e os agenciadores desses “compromissos” sabem muito bem disso.…