Por pbagora.com.br

Grande reportagem do portal UOL nesta segunda-feira (20) traz um pouco da história e trajetória do craque paraibano, Marcelinho Paraíba, que pendurou as chuteiras aos 44 anos de idades

Marcelinho Paraíba tem o futebol no sangue. E não é jeito de falar. O pai, Pedrinho Cangula, foi jogador. A bola foi passando de geração em geração e a alegria de jogar é tanta que o mais famoso deles demorou a dizer o difícil adeus. A carreira de Marcelinho chegou ao fim apenas no último dia 15 de março, aos 44 anos.

Nada parou o meia em quase 30 anos de carreira. Nada mesmo. Nem o maior susto para ele, um acidente vascular cerebral que poderia não só colocar um fim à carreira, como ter deixado sequelas graves. “15 dias depois eu voltei a jogar”, contou ao UOL Esporte. “Minha saúde está excelente, poderia continuar jogando. Não tenho a mesma velocidade de quando eu jogava no Hertha, mas meu físico ainda é muito bom. Resolvi para agora não por saúde ou condicionamento físico e sim porque queria começar uma nova carreira como treinador”, completou.

A longa carreira, com mais de 20 mudanças de clubes, foi cheia de títulos e polêmicas — que Marcelinho admite se arrepender. O agora ex-jogador mora na Paraíba e quer viver a vida como, muitas vezes, não conseguiu quando estava na ativa: tranquilamente. Em entrevista ao UOL, falou de religião, de arrependimentos e do sonho de virar treinador.

 

CLIQUE AQUI E CONFIRA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio acumula para R$ 43 milhões

O sorteio do concurso 2.301 da Mega-Sena foi realizado na noite deste sábado (19) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio seria de R$ 36.675.402,77…

Apesar da pressão de RC, PSB Nacional rejeita aliança com PT em JP

A decisão do PT nacional de intervir na eleição à Prefeitura de João Pessoa e determinar ontem a retirada da candidatura do petista Anísio Maia para apoiar o ex-governador Ricardo…