Por pbagora.com.br

“A ordem e economia públicas, de um Município que vem passando por inúmeras incertezas jurídicas quanto à chefia de seu Poder Executivo – em decorrência de diversas decisões judiciais ocasionando uma verdadeira “dança das cadeiras” –, exigem que a execução da liminar recursal seja suspensa”. A declaração é do procurador-geral de Justiça em exercício, Alcides Orlando de Moura Jansen, após protocolar medida cautelar junto à Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) para suspender liminar do desembargador Marcos Cavalcanti que permitiu a Berg Lima reassumir a Prefeitura de Bayeux.

Par aele, a decisão liminar recursal, de forma monocrática e às vésperas do recesso forense representa “nítido e inequívoco prejuízo à gestão da cidade”.

“Não é salutar para um Município que um prefeito condenado em  primeira instância por improbidade administrativa, a partir de provas cabais e incontestes do ilícito perpetrado em detrimento dos cofres públicos, retorne ao regular exercício de Chefe do Poder Executivo, após mais de 1 ano e 4 meses afastado do cargo”, completou.

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Notícias relacionadas

Após suspensão, trens voltam a circular entre João Pessoa e Santa Rita

Após as fortes chuvas que atingiram João Pessoa e inundaram a linha férrea e impediram a locomoção dos trens por um período da manhã desta sexta-feira (26), a Companhia Brasileira…

Daniella Ribeiro garante participação ativa de pequenas startups nas licitações

Senadora fez acordo com relator do projeto do Marco Legal das Startups para antecipar recursos para etapa inicial dos projetos licitados A senadora Daniella Ribeiro, líder do Progressista no Senado,…