O Ministério Público da Paraíba (MPPB) pediu a a condenação da Arquidiocese da Paraíba por danos morais coletivos por casos de pedofilia registrados no estado nos últimos anos.

Em um parecer divulgado nesta terça-feira (2), o procurador de justiça Herbert Douglas Targino diz que a Arquidiocese da Paraíba deve pagar cerca de R$ 300 mil para reparar os danos causados por padres que cometeram abuso sexual contra crianças e adolescentes.

O processo, que tramita no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), se refere a denúncia envolvendo um padre, que atuou em uma paróquia na cidade de Jacaraú. Segundo a denúncia, o padre, que já faleceu, teria assediado pelo menos 20 adolescentes.

O procurador Herbert Targino, disse que, como autoridade da Igreja e por ocupar um cargo de confiança, não deveria se utilizar desse privilégio para cometer atos ilícitos. “Neste caso, em específico, a indenização tem que ter caráter pedagógico. É uma forma de reparar todo dano causado pelo padre às pessoas que foram vítimas e também mobilizar a Arquidiocese a aumentar o rigor na vigilância de padres”, afirma.

O processo, que está no Tribunal de Justiça, na 1ª Câmara Cível, tem como relator o desembargador José Ricardo Porto.

A Arquidiocese da Paraíba disse que não foi notificada oficialmente.

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Azevêdo participa da solenidade alusiva ao dia do patrono da Polícia Militar

O governador João Azevêdo participou, nesta terça-feira (20), da solenidade alusiva ao dia do patrono da Polícia Militar da Paraíba, Coronel Elísio Sobreira, realizada no Espaço Cultural, em João Pessoa.…

Confira locais de prova do concurso para servidores da UFCG

Prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 15 de setembro A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), através da Comissão de Processos Vestibulares (Comprov), disponibilizou nesta quarta-feira, dia…