Por pbagora.com.br

Ministérios Públicos na PB recomendam que secretarias exijam de OSs informações detalhadas no portal da transparência
MPF, MPT, MPPB e MP de Contas querem cumprimento da Lei de Acesso à Informação

O Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério Público Estadual (MPPB) e o Ministério Público de Contas (MPC) da Paraíba recomendaram aos secretários de saúde e educação do estado que exijam do Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde (Insaúde) e do Espaço Cidadania e Oportunidades Sociais (Ecos) a disponibilização de informações detalhadas, sobre receitas e despesas, no portal da transparência. As organizações sociais (OSs) têm contratos com o estado nas áreas de saúde e educação, respectivamente.

Os Ministérios Públicos querem, com a medida, o efetivo cumprimento da Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011), com detalhamento de gastos desse ano e gastos anteriores.

Segundo a recomendação, as organizações sociais devem alimentar o portal da transparência com o mesmo nível de detalhamento adotado pelo Governo do Estado, a exemplo de informações acerca dos critérios de escolha dos fornecedores e pessoal, nome de quem recebe diárias, assim como valores e motivos das viagens. 

Consulta realizada recentemente revelou que as informações prestadas não permitem identificar com clareza onde e de que forma os recursos públicos estão sendo investidos, fato que, de certa forma, fere a Lei de Acesso à Informação.

Atualmente o Governo do Estado possui contrato de gestão pactuada com o Insaúde, no valor de R$ 117.056.294,64, e com o Ecos, no valor de R$ 117.282.637,48.

 

Assessoria

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Notícias relacionadas

Diretor do Grupo São Braz, José Carlos, morre em decorrência da covid-19

Faleceu nesta sexta-feira (05) por complicações de saúde causadas pela covid-19, o diretor presidente do Grupo São Braz e proprietário das TVs Cabo Branco e Paraíba, José Carlos da Silva…

Presidente da FPF diverge de recomendação do MPPB sobre suspensão do futebol na Paraíba

A presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho, criticou a recomendação do Ministério Público da Paraíba solicitando a suspensão da realização de partidas de futebol no estado. Para…