Nesta quinta-feira (21) o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV) irá autorizar o início das obras do Parque Ecológico do Sanhauá, no Centro Histórico da Capital paraibana.

O anúncio da obra acontece em meio a repercussão causada pelo despejo de centenas de famílias da comunidade Nassau, no  Porto do Capim e que  causou  grande comoção e apreensão entre os moradores da localidade, já que a maioria alega que não tem para onde ir.

Para o procurador do Ministério Público Federal, José Godoy, a ordem de despejo  foge das tratativas que estavam sendo realizadas pelos moradores, o MPF e a PMJP.

"Estou esperando receber informações oficiais o quanto antes para saber qual providência iremos adotar. Mas, de início, já causou uma certa surpresa essa nova abordagem adotada pelo poder público que considero a menos democrática, talvez. Vamos nos informar o quanto antes, pedir informações sobre o teor dessa notificação e em que se baseia para que, a partir dele, saibamos a medida que vamos adotar. A nossa ideia é que voltemos ao espaço de diálogo que vinha acontecendo sempre.", disse.

De acordo com a PMJP, o novo parque que será construído no lugar das casas “será uma grande área de convivência que dará solução para a questão ambiental de área de risco às margens do Sanhauá”.

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB faz parceria com ONG internacional para Educação em Direitos Humanos

O Governo do Estado, por meio da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac) e da Secretaria de Educação do Estado, com o Ministério Público Federal…

TJPB nega pedido de interrupção de gravidez de feto com ‘Síndrome de Edwards

Por maioria de votos e em harmonia com o parecer ministerial, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba indeferiu o pedido de Tutela de Urgência nos autos da…