Nesta quinta-feira (21) o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV) irá autorizar o início das obras do Parque Ecológico do Sanhauá, no Centro Histórico da Capital paraibana.

O anúncio da obra acontece em meio a repercussão causada pelo despejo de centenas de famílias da comunidade Nassau, no  Porto do Capim e que  causou  grande comoção e apreensão entre os moradores da localidade, já que a maioria alega que não tem para onde ir.

Para o procurador do Ministério Público Federal, José Godoy, a ordem de despejo  foge das tratativas que estavam sendo realizadas pelos moradores, o MPF e a PMJP.

"Estou esperando receber informações oficiais o quanto antes para saber qual providência iremos adotar. Mas, de início, já causou uma certa surpresa essa nova abordagem adotada pelo poder público que considero a menos democrática, talvez. Vamos nos informar o quanto antes, pedir informações sobre o teor dessa notificação e em que se baseia para que, a partir dele, saibamos a medida que vamos adotar. A nossa ideia é que voltemos ao espaço de diálogo que vinha acontecendo sempre.", disse.

De acordo com a PMJP, o novo parque que será construído no lugar das casas “será uma grande área de convivência que dará solução para a questão ambiental de área de risco às margens do Sanhauá”.

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mídia nacional repercute elogio de Moro a operações da PF na PB

O site O Antagonista, conhecido nacionalmente por trazer à tona bastidores da política nacional e locais, trouxe publicação nas últimas horas destacando o elogio do ministro Sérgio Moro às operações…

João visita Maternidade Frei Damião e discute projeto das novas instalações

O governador João Azevêdo realizou, na manhã desta terça-feira (18), uma visita técnica à Maternidade Frei Damião, no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, para discutir com auxiliares…