Aos 44 anos, após ter rodado por grandes clubes e obtidos importantes conquistas, o jogador Marcelinho Paraíba está prestes a deixar os gramados.

“Quero deixar bem claro que após o Paraibano 2020 eu vou pendurar as chuteiras”, anunciou o jogador.

Com a serenidade que se tornou habitual nas suas entrevistas após “virar um novo homem”, o experiente Marcelinho Paraíba, convertido ao protestantismo desde abril, anunciou nesta segunda-feira (18) que vai parar de jogar futebol.
O filho de Pedrinho Cangula vai disputar a temporada do ano que vem pela Perilima, casa que escolheu para se aposentar das quatros linhas após vestir as camisas de 23 outros clubes e a da Seleção Brasileira.

O anúncio aconteceu durante a entrevista coleita de apresentação de seu retorno à Águia de Campina Grande, em um restaurante da cidade.

Marcelinho também comunicou a sua decisão de desistir de se candidatar a vereador de Campina Grande, desejo revelado pelo próprio atleta ainda no início do ano.

– Orando a Deus, meditando, cheguei à conclusão que não é o momento. O sistema é pesado, tem muita corrupção e isso me fez desistir da política – comentou o jogador.

Segundo Marcelinho Paraíba, quando acabar o Campeonato Paraibano de 2020, em maio, ele seguirá estudando para se tornar treinador.

O currículo de Marcelinho Paraíba é invejável. Ele já atuou por grandes clubes do futebol nacional e até mesmo internacional. Encantou a Europa, com passagens pelo Trabzonspor, da Turquia, pelo Wolfsburg, da Alemanha, e pelo Olympique de Marseille, da França. Mas foi no futebol alemão que o meia fez história.

Quando atuou pelo Hertha Berlim, ele conquistou duas Copas da Alemanha, foi eleito duas vezes o melhor jogador Bundesliga, e uma vez o melhor jogador estrangeiro da Bundesliga, estabelecendo com a torcida alemã um status de ídolo que permanece até os dias hoje.

Natural de Campina Grande, na Paraíba, Marcelo nasceu em 17 de maio de 1975 e começou sua carreira no Campinense, no ano de 1991, um dos maiores clubes de sua cidade natal. Posteriormente, teve uma breve passagem pelo Paraguaçuense, em 1994, e seguiu para o Santos, onde permaneceria por duas temporadas.

Após uma passagem pelo Rio Branco de Americana, entre 1995 e 1997, Marcelinho seguiu para o São Paulo, onde definitivamente ganhou projeção nacional sendo decisivo no Campeonato Paulista de 2000. Do Tricolor paulista, o meia-atacante foi direto para o futebol europeu, sendo contratado pelo Olympique de Marselhe, da França.

De volta ao Brasil, em 2001, o jogador foi contratado pelo Grêmio para a disputa da Copa do Brasil daquele ano. Na final, diante do Corinthians, a equipe gaúcha comandada pelo técnico Tite, venceu o Timão dentro do Morumbi, com direito a gol do camisa 10.

Fora do país, Marcelinho ainda vestiu as camisas de Hertha Berlin-ALE, Trabzonspor-TUR e Wolfsburg-ALE.

Em seu novo retorno para a terra natal, o atleta acertou sua ida para o Flamengo, onde teve muitos altos e baixos. Em seguida, vestiu a camisa do Coritiba, com a qual foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2009.

Em 2018 ajudou o Treze a conquistar o acesso para a Série C do Brasileiro. Na temporada deste ano, voltou a vestir a camisa do Galo no segundo semestre, e ajudou a evitar o rebaixamento do alvinegro. Aliás, nas últimas temporadas disputou o Paraibano pelo Treze e pela Perilima respectivamente.

SL

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PRTB de Eduardo Carneiro volta a ter representante na CMJP

O vereador de João Pessoa Thiago Lucena agora integra os quadros do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB). Ele aceitou o convite da direção para fazer parte da legenda e disputar…

Banco de Leite do Isea busca alternativas para enfrentar queda nas doações

A coordenação do Banco de Leite Humano Dr. Virgílio Brasileiro, do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), busca alternativas para enfrentar a crise causada pela pandemia do Coronavírus. Apesar…