Religiosos e líderes vinculados a diversos matizes de religiões de matriz africana da Paraíba participam neste sábado do evento 1ª Caminhada pela Liberdade Religiosa e Resistência, Jurema, Umbanda e Candomblé na Paraíba, uma realização do Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro Brasileiro (INTECAB-PB). Amanhã o evento será encerrado com a realização de uma caminhada, a partir das 8 horas, saindo do Busto de Tamandaré, em Tambaú, até a Praça de Iemanjá, na praia do Cabo Branco.

Na parte da manhã, a primeira mesa discutiu o tema “Intolerância religiosa”, com falas de Marcos Resende (CEN), Pai Carlos (FICAB), Vania Fonseca (Bamidelé) e Fátima de Iemanjá (SP). Resende defende a criação de um fórum nacional das religiões de matriz africana, nos moldes do que é a CNBB hoje para os católicos. Pai Carlos ressaltou a importância do respeito interreligioso. Ele citou um episódio que viveu em Salvador, quando precisou registrar um boletim de ocorrência foi perguntado sobre sua religiosidade e respondeu que era candomblé e o policial respondeu que era seita e não religião. Vania lembrou que Paraíba realiza evento de religiões dos orixás desde 1999 e caminhadas de juremeiros.

O evento deve discutir também temas como meio ambiente e educação, com especificidade à Lei 10.639, que institui o ensino de cultura afrobrasileira nas escolas. O evento tem o apoio da Federação Independente dos Cultos afros Brasileiros do Estado da Paraíba (Ficab), Cenarab/PB, Centro de Cultura Ilê Axé Omindewá, Casa de Cultura Ilê Axé Osaguiã, Ilê Tata do Axé, Federação de Cultos Afro Brasileiro, Ilê Axé Omilodé, Grupo de Mulheres Yalodê, Central Umbandista, Cruzada Federativa de Umbanda, Federação dos Cultos Paraibanos de Umbanda, Candomblé e Jurema, Fórum Paraibano de Promoção da Igualdade Racial (FOPPIR), Associação Afrocultural Bessen Dan, Casa de Cultura Omideyin, Ilê Asé Osun Odenitá, Ilê Axé Ode Ta Ofa Si Iná, Templo de Magia, K´ué Axé Osun Opará, K´ué Axé Oya Onira, Ilê Asé Osun Yaboto, Ilê Ajagunan Axé Odó Ti Fádáká, Rede de Mulheres de Terreiro, Juventude Negra da Paraíba, Bamidelé – Organização de Mulheres Negras na Paraíba, Funjope (PMJP), Seppir, Centro de Cultura Oyaféfé – IAOF, Terreiro Ogum Beira-Mar, Ilê Asé Airá, Ilê Asé Osun- Opará, Ilê Axé Ode Ofa Onã.

Assessoria

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

ENQUETE: Qual vereador da CMJP merece voltar ao mandato em 2020? Participe!

Faltam pouco mais de 1 ano para a realização das eleições municipais de 2020 que vão escolher os novos representantes dos executivos e legislativos em todo país. Com base nisso,…

Opinião – Ferreira Costa e o Jornalismo a serviço da sociedade

Em tempos de fake news e ataques a imprensa exaltar o bom jornalismo, principalmente aquele que resulta em frutos concretos a favor da sociedade, chega ser uma obrigação de todos…