“Não é hora de romper. É hora de se unir.” A declaração foi dada pelo ex-deputado federal e atual secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido do governo do Estado Luiz Couto (PT) ao quebrar o silêncio sobre o imbróglio envolvendo a manutenção do apoio de seu partido ao Governo João Azevêdo.

A manifestação do secretário se deu através de um vídeo gravado e publicado na internet nesse fim de semana.

Para ele, o PT não pode se isolar, mas sim unir forças para que o partido possa trabalhar na perspectiva de que a Paraíba continue assegurando para o seu povo a sua dignidade e qualidade de vida que merece. “O PT não é dono de ninguém. Ele é uma obra construída por toda ação dos seus dirigentes, mas principalmente pela sua militância. Por isso, convido a todos para que no dia 7, nós votemos pela rejeição dessa proposta de rompimento do PT com o governo João Azevedo”, disse.

Couto lembrou ainda que o Partido dos Trabalhadores foi responsável pela promoção e votação que teve João Azevedo e onde esteve presente ainda o PPS, que agora é o Cidadania. Por isso, disse que é preciso estar antenado e refutar a pecha de que o governador é bolsonarista.

“João e os demais governadores estão apenas trabalhando para que o Nordeste possa crescer porque se depender do governo federal, nada virá e nesse sentindo não tem nada disso ou que ele não esteja cumprindo aquilo que disse que cumpriria no plano de trabalho colocado para a sociedade e que agora está implementando”, ressaltou.

Couto acredita também que é necessário que o PT continue com a Secretaria da Agricultura Familiar, pasta que ele ocupa, e que agora está organizada e desenvolvendo diversas ações.

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MP irá apurar propaganda eleitoral antecipada em Pocinhos

O Ministério Público Eleitoral instaurou um procedimento preparatório para apurar possível propaganda eleitoral antecipada na colocação de outdoor na cidade de Pocinhos contendo mensagem relacionada ao vereador Emmanoel Pereira. O…

Unidade de Saúde em Lastro é interditada por falta de segurança para profissionais

Falta de segurança para os profissionais foi o principal motivo da interdição O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de…