A Paraíba o tempo todo  |

Uso de tornozeleira e bloqueio de bens de denunciados na Calvário são mantidos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O Tribunal de Justiça da Paraíba, através do desembargador Ricardo Vital de Almeida, relator da Operação Calvário no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), manteve o uso de tornozeleira eletrônica e o bloqueio de bens de denunciados na referida operação.

De acordo com as informações, o ex-secretário de Estado da Educação, Aléssio Trindade, havia pedido o desbloqueio de seus bens, da mesma forma procedeu Giovana Araújo Vieira, porém o desembargador negou os pedidos.

No âmbito das investigações da Calvário, pesa sobre Aléssio a denúncia de que ele teria causado um prejuízo de R$ 21,640 milhões ao adquirir licenças de um software educativo sem licitação.

Outro pedido negado pela Justiça foi o do empresário Jardel da Silva Aderico que havia solicitado a retirada sua tornozeleira eletrônica. Sobre ele pesa a denúncia de ter pagado milhões em propina para a contratação de sua empresa.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe