Por pbagora.com.br

O Tribunal de Justiça da Paraíba, através do desembargador Ricardo Vital de Almeida, relator da Operação Calvário no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), manteve o uso de tornozeleira eletrônica e o bloqueio de bens de denunciados na referida operação.

De acordo com as informações, o ex-secretário de Estado da Educação, Aléssio Trindade, havia pedido o desbloqueio de seus bens, da mesma forma procedeu Giovana Araújo Vieira, porém o desembargador negou os pedidos.

No âmbito das investigações da Calvário, pesa sobre Aléssio a denúncia de que ele teria causado um prejuízo de R$ 21,640 milhões ao adquirir licenças de um software educativo sem licitação.

Outro pedido negado pela Justiça foi o do empresário Jardel da Silva Aderico que havia solicitado a retirada sua tornozeleira eletrônica. Sobre ele pesa a denúncia de ter pagado milhões em propina para a contratação de sua empresa.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Promotores de Justiça fazem plantão neste segundo turno em JP

Os promotores de Justiça do Ministério Público da Paraíba que atuam no Ministério Público Eleitoral (MPE) terão equipes de plantão neste fim de semana (dias 28 e 29/11), quando ocorre…

Em debate, Nilvan reforça retomada da economia e programa vale gás em JP

O candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira disse que a pandemia causada pela covid-19 aumentou as desigualdades sociais, por isso é fundamental que nesse momento sejam realizadas ações…