Por pbagora.com.br

Após quase quatro anos de investigações sobre supostas irregularidades em edições do evento junino denominado “São João de Patos” na gestão da então prefeita Francisca Motta, ontem (13/5), o Poder Judiciário da Paraíba determinou o arquivamento do procedimento de investigação.

Este procedimento foi iniciado em 2016 pelo Ministério Público Federal de Patos, na época conduzido pelo Procurador da República João Raphael, que afirmava existirem indícios de que haviam irregularidades e possíveis desvios de valores referentes aos patrocínios do evento “São João de Patos”.

Após anos de investigação, à Justiça Federal proferiu decisão de que não haviam irregularidades em verbas federais e valores da Caixa Econômica Federal e, assim, no ano de 2019, remeteu o processo para Justiça Estadual para que o Ministério Público da Paraíba investigasse a existência de irregularidades de interesse local.

Após mais um ano de investigação do MPPB, o promotor de justiça responsável entendeu pela devolução dos bens apreendidos na “Operação São João” e pelo não oferecimento de processo contra os investigados da “Operação”.

Desde a deflagração da Operação, Illana Motta e os demais investigados na Operação (a exemplo da empresa Area Badalada Eventos) afirmavam sua inocência e a ausência de irregularidades na realização do São João de Patos, fato que só agora se confirma, sendo todos inocentados.

 

Redação com Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Concurso da Prefeitura Municipal de João Pessoa já tem banca definida

Após Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), prefeitura anuncia que a AOCP será a banca do novo concurso João Pessoa PB. A empresa Assessoria em Organização de Concursos Público (AOCP)…

Covid: eleitor sem máscara não terá acesso à cabine de votação, alerta TRE-PB

A coordenadora da Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, Vanessa do Egito, explicou nesta sexta-feira (30), em entrevista concedida em emissora de rádio em João Pessoa, as medidas de…