O juiz Adilson Fabrício explicou, durante entrevista à imprensa, nesta sexta-feira (20), minutos após a audiência de custódia do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), que determinou a prisão do socialista para a Média de Mangabeira, que ninguém que não seja militar pode ficar detido no 5º Batalhão de Polícia Militar.

Ele ressaltou que os militares não são treinados para atuarem como agente penitenciário e assegurou que a Ricardo será dado o tratamento àqueles que possuem nível superior.

“Na verdade, organização militar é só pra ficar recolhido militar. Colocar uma pessoa civil lá, sem o treinamento específico dos policiais militares para fins penitenciários, fica difícil e vai atrapalhar o dia dia da instituição. Além disso existe uma portaria do juiz titular da Vara Militar que proíbe o recolhimento de presos civis em organizações militares do Estado da Paraíba. Está se cumprindo tão somente isso e o meu entendimento de que ali deve ser recolhido apenas militares”, explicou.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

TRF5 funcionará em regime de plantão durante feriado da Semana Santa

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 vai funcionar em regime de plantão judicial, durante o feriado da Semana Santa, que vai desta quarta-feira (8) até o próximo…

Edital na PB destina R$ 1 milhão para projetos de combate ao novo coronavírus

Um edital que destina R$ 1 milhão a cientistas e pesquisadores que apresentarem propostas de monitoramento, análise e recomendações acerca da pandemia de Covid-19, foi publicado. As inscrições podem ser…