O secretário de Articulação Política do Governo da Paraíba, João Gonçalves (Podemos), reagiu, durante entrevista nesta quinta-feira (06), a manobra da bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) em protocolar pedidos de CPI e de Impeachment contra o governador João Azevêdo e também creditou à articulação a tentativa de formação de um palanque político, com vistas às eleições 2020.

Segundo Gonçalves, como representantes da população, os parlamentares devem ter responsabilidade com a Paraíba, em vez de tentar criar um clima instabilidade, que atinge, sobretudo o campo econômico, através dos investimentos.
Atualmente a Paraíba figura como um dos Estados mais equilibrado nas contas públicas, com capacidade de adquirir empréstimos para manter a execução de obras e ações.

“É preciso que os agentes políticos, principalmente parte dos deputados que entraram com esses instrumentos legislativos, que tenham responsabilidade com a Paraíba, que vem se estabelecendo economicamente, é nível B, ou seja, o estado tem mantido a folha em dia, deu aumento salarial linear e está fazendo o possível para atender às categorias. Não se pode fazer campanha política em cima do estado, em cima das pessoas. O que estão fazendo é um palanque!”, reagiu.

No tocante ao pedido de impeachment, Gonçalves lembrou que não há fato determinante, não a acusação ou denúncia contra o governador que embase a solicitação. Já no tocante à CPI da Calvário, as autoridades responsáveis já estão realizando as investigações e tomando as providências.

“Todos os instrumentos já estão sendo adotados, o que a oposição quer é palanque”, reforçou. As informações repercutiram no programa Rádio Verdade, da Arapuan FM.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vigilância sanitária interdita fábrica clandestina de álcool em gel em CG

No início da tarde desta quarta-feira (1º) a Vigilância Sanitária em ação conjunta com o Procon-CG, Polícia Militar e outros órgãos interditou uma fábrica clandestina de álcool gel em Campina…

TRF anula decisão que destinava verba do fundo eleitoral para combate ao coronavírus

O desembargador Reis Friede, do Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF-2), anulou nessa terça-feira (31) uma decisão da Justiça Federal do Rio de Janeiro que determinou a aplicação da…