Por pbagora.com.br

A Superintendência Regional do Incra na Paraíba divulgou, no início da tarde desta quarta-feira (25), uma nota sobre a Operação “Poço Sem Fundo”, deflagrada na manhã desta quarta-feira (25) pela Polícia Federal (PF), Ministério Público Federal (MPF) e Controladoria Geral da União (CGU).

De acordo com a nota, os contratos envolvidos na operação foram firmados entre 2016 e 2017, realizados pela gestão anterior, e nenhum deles pela atual gestão, além disso o órgãos informa que sempre esteve à disposição da PF, MPF e CGU para prestar as informações necessárias.

Leia na íntegra:

1) Os contratos objetos da operação foram firmados em 2016 e 2017, portanto, na gestão anterior, e nada foi executado e pago pela atual gestão do Incra/PB; 

2) Desde o início das investigações, o Incra/PB se colocou à disposição da PF, MP e CGU para prestar todas as informações necessárias à apuração dos fatos, a fim de que o caso seja elucidado e, comprovado o desvio de recursos públicos, os responsáveis sejam identificados e punidos; 

3) Por fim, em consonância com o que determina a direção nacional do Incra, a atual gestão da autarquia na Paraíba esclarece que vem trabalhando em parceria com os órgãos de controle, visando prevenir, identificar e coibir quaisquer irregularidades que possam ocorrer na aplicação dos recursos públicos.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PMCG rebate informações sobre ‘fura fila’ na aplicação da vacina contra a covid-19

A Secretaria de Saúde de Campina Grande emitiu nota no início da tarde desta quarta-feira (20) onde refutou denúncias de que na fase inicial de campanha de imunização contra a…

MEC divulga selecionados na primeira chamada do Prouni 2021

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, hoje (19), a relação dos candidatos aprovados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) de 2021. Os selecionados terão até o dia…