O Hospital Municipal Doroteia Marques de Aguiar, na cidade de Aroeiras, a 180 km de João Pessoa, foi interditado eticamente pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), após fiscalização realizada na manhã desta quinta-feira (16). O hospital apresenta diversas irregularidades, funcionando precariamente, faltando médicos e equipamentos. As paredes apresentavam mofo e infiltrações.

Durante a vistoria, a equipe de fiscalização do CRM-PB constatou que o hospital não possui equipe médica completa, o laboratório só funciona três vezes por semana, não há equipamentos para atendimento de emergência, nem aparelho de Raio X. Além disso, o hospital não possui direção técnica. “Infelizmente, um hospital não pode funcionar desta forma. Esperamos que esses problemas sejam resolvidos o mais rápido possível para que a população tenha um atendimento digno”, destacou o diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

A interdição ética do hospital tem início a meia noite da sexta-feira (17) e impede que os médicos prestem seus serviços no local. Os pacientes que estão internados continuam recebendo assistência, mas não são feitas novas internações, nem atendimentos.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governador é contra privatização de serviços da Cagepa em CG

O governador João Azevedo (sem partido) se posicionou contrário à privatização de serviços da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa). Segundo João Azevêdo, há uma lei que deve…

Incêndio destrói estofaria após curto-circuito, na cidade de Bayeux

Na manhã desta quarta-feira (22), uma estofaria localizada na cidade de Bayeux ficou praticamente destruída pelo fogo. Segundo as informações de funcionários do local, as chamas começaram após um curto-circuito…