Não há registro de paralisação ou de protesto de caminhoneiros no país até o momento, a despeito da greve da categoria que estava marcada para iniciar às 5h desta 2ª feira (16). A informação é do governo federal, que tem monitorado a movimentação a partir da imprensa local nos Estados e das redes sociais.

De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Infraestrutura, todas as vias estão livres e os caminhões circulam normalmente. O governo já havia indicado que eram pequenas as chances da greve ser realizada, por falta de mobilização dos caminhoneiros. Uma das principais pautas do movimento é a mudança de preços da gasolina, diesel e gás de cozinha por parte da Petrobras.

Internamente, observa-se uma divisão dentro da categoria: enquanto Marconi França, 1 dos líderes, defendia a greve e afirmava, até a semana anterior, que haveria grande apoio por parte dos caminhoneiros, Wallace Landim, conhecido como Chorão, que é o principal líder do setor, afirmou que ele quer “atrapalhar o país”.

Há quem avalie também que o apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores) à manifestação teria esvaziado o movimento. A Central lançou uma nota na semana passada afirmando que a pauta de reivindicações é também de interesse de toda a sociedade brasileira”.

Poder 360

 

 

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Açude de Boqueirão passa dos 62% e poderá sangrar ainda este ano

Com as cheias dos rios Taperoá e Paraíba, o açude Epitácio Pessoa, localizado na cidade de Boqueirão, Cariri do estado, registrou 62,01% de volume nesta sexta-feira (27), o que equivale…

UEPB institui auxílio emergencial e garante pagamento de bolsas de assistência estudantil

A Administração Central da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) instituiu, por meio da Portaria UEPB/GR/0020/2020, um auxílio financeiro emergencial, a título extraordinário, de parcela única, para os alunos assistidos pelo…