Por pbagora.com.br

A produção de queijo artesanal e derivados do leite tem se constituído em uma atividade cada vez mais crescente na Paraíba, recebendo o estímulo, por parte do Governo do Estado, no apoio à pesquisa de melhoramento genético de animais bovinos, caprinos e ovinos através de suas estações de pesquisas. Para consolidar a cadeia produtiva com a abertura de novos mercados, a Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer/vinculada à Sedap), orienta os produtores para a implantação do Selo Arte.

Na Paraíba, atualmente, são cerca de 680 unidades de agroindústria de produção de queijo artesanal que recebem acompanhamento sistemático por parte da Empaer, para que os produtores obtenham a produção de melhor qualidade, permitindo assim o atendimento às exigências do mercado consumidor.

A nova legislação sanitária definida para se obter o Selo Arte tem como foco a implantação do produto queijo artesanal e da adequação das queijeiras, a fim de melhorar a qualidade do produto e sua comercialização, com isso possibilitar aumentar a renda dos produtores de laticínios.

Segundo o engenheiro agrônomo Genival Soares da Silva, que acompanha a área de projetos agroindustriais na Empaer, as 680 unidades de produção artesanal de queijo estão localizadas em quase todos os municípios paraibanos, destacando-se as regiões de Serra Branca, no Cariri, com 166 unidades em diversos municípios. Na região de Princesa Isabel existe em atividade mais de 60 unidades e, em Picuí são quase 50 pequenas agroindústrias caseiras de queijo.

Ele explicou que para se ter um produto de boa qualidade, o produtor deve seguir todas as normas sanitárias de manejo do rebanho. O queijo artesanal pode ser feito de leite cru, observando as determinações de conformidade do Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Ministério da Agricultura e da Pecuária, conforme as normas de Boas Práticas de Fabricação.

Os benefícios do Selo Arte possibilitam a identificação da origem desse produto como artesanal, permitindo a comercialização em todo o território nacional, além de garantir outros benefícios indispensáveis ao produtor. Também traz segurança para o consumidor que tem a certeza de que o produto foi inspecionado e fiscalizado pelos órgãos oficiais, sobretudo com relação às Boas Práticas de Fabricação e as Boas Práticas Agropecuárias.

Outra vantagem para o queijo com o Selo Arte é que abre oportunidades de mercado, e pode ser comercializado em todo o território nacional.

PB Agora

Notícias relacionadas

Chuvas na PB: especialista destaca que está chovendo dentro da média e prevê precipitações para o Sertão

Em entrevista a imprensa o gerente da Agência Executiva de Gestão de Águas (Aesa) da Paraíba, o gerente de monitoramento da Aesa, Alexandre Magno, fez uma avaliação sobre as recentes…

Padre Nilson faz um alerta e um pedido aos paraibanos contra a Covid-19

Em sua rede social Instagram, o Padre Nilson Nunes fez um comunicado aos paraibanos. Ele lembrou que neste final de semana teve que comparecer, mesmo que com todos os cuidados…