Uma grande confusão foi registrada no início da tarde desta quinta-feira (25) na Rua Miguel Couto, no Centro de Campina Grande, após uma empresa anunciar processo seletivo ofertando 200 vagas de empregos em um feirão. O tumulto aconteceu porque a procura foi maior que a oferta. No local uma fila quilométrica foi formada. Um vídeo foi divulgado e viralizou nos grupos de whatsapp.

Após encerrado o processo, as pessoas que não foram atendidos protestaram no meio da via e queimaram os currículos que seriam entregues. Aproximadamente 4 mil desempregados estavam em busca de uma chance para entrar no mercado de trabalho.

Alguns dos manisfestantes chegaram a lançar pedras na vidraça da empresa que estava oferecendo as vagas de emprego. A segurança privada do local teve que jogar spray de pimenta para dispersar as pessoas que estavam tentando denegrir o patrimônio. Foram distribuídas três mil fichas, para concorrer às 200 vagas, mas o número não foi suficiente.

De acordo com a coordenadora de gestão da empresa, Samila, o número de pessoas atendidas chegou a 3.000.

“A gente entende que tem muita gente desempregada e fizemos esse feirão com o objetivo de ajudar, só que, a quantidade de pessoas excedeu as nossa expectativas e tivemos que encerrar mais cedo, pedimos desculpas as que não conseguiram ser atendidas, mas tudo foi feito de acordo com o que foi divulgado. Agimos com transparência e nos próximos dias estaremos vendo com as empresas a relação dos selecionados”, disse.

 

Redação com Paraiba Todo Dia


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Medidas restritivas seguem em Campina Grande e bloqueios são intensificados nos bairros

As medidas restritivas ao Covid-19 seguem em Campina Grande, durante todo o feriadão, e os bloqueios da Superintendência de Trânsito e Transporte Públicos (STTP), são intensificados nos bairros. Com o…

“Qualquer pessoa pode fazer a sua declaração”, detalha procurador-geral de JP

Devido as medidas mais rígidas de isolamento social no intuito de diminuir a proliferação do novo coronavírus sobretudo na região metropolitana de João Pessoa, epicentro dos casos na Paraíba, barreiras…