Por pbagora.com.br

Ainda não há nenhuma sinalização para que haja uma ação dos militares do exército ou da segurança pública contra paralisação dos caminhoneiros na Paraíba.

De acordo com informações de representantes do exército, a ação vai depender de requerimento do governador Ricardo Coutinho e essa ação só irá ocorrer caso haja uma insuficiência dos meios da Polícia Militar para concretizar um possível decreto, e ainda vai depender de planejamento do Exército para traçar um plano de ação.

Após reunião entre o Exército, o Ministério Público estadual e federal, polícias Militar e Civil, e Advocacia Geral da União, na manhã deste sábado, ficou decidido que se caso for preciso as medidas serão:

  • Remoção ou condução de veículos obstruindo via pública.
  • Escolta de veículos transportando coisas essenciais.
  • Garantia de acesso aos locais de produção.
  • Medidas de proteção para infraestrutura considerada crítica.

PB Agora

Notícias relacionadas

Cajazeiras volta à bandeira laranja e prefeitura determina toque de recolher

A Prefeitura de Cajazeiras editou decreto válido a partir desta segunda-feira (17) estabelecendo toque de recolher e fechamento de bares e restaurantes. A medida, assinada pelo prefeito José Aldemir, se…

João entrega novo ginásio paradesportivo do Instituto dos Cegos

O governador João Azevêdo entrega, nesta segunda-feira (17), às 10h, o Ginásio Paradesportivo do Instituto dos Cegos da Paraíba Adalgisa Cunha (ICPAC), que foi construído pelo Governo do Estado por…