Por pbagora.com.br

EXCLUSIVO – As imagens  filmadas por moradores  de Vila Cabral de Santa Terezinha em Campina Grande e publicadas nas redes sociais,  são chocantes, macabras e de causar indignação a qualquer cidadão. Os ossos humanos “surgidos” da terra e descendo ladeira abaixo,  lembram cenas de um filme de terror, mais são reais e apontam para um grave problema sanitário que pode desencadear em um problema de saúde pública com consequências imprevisíveis. O mais grave é que no cemitério, mesmo nessas condições deteriorante.pelo menos duas pessoas testadas positivas para o Covid-19 já foram sepultadas, sendo que uma delas, sem o uso dos protocolos de segurança exigidos pelas autoridades sanitárias e epidemiológica.

As condições estruturais do cemitério do Santíssimo preocupa a população.  Ele é todo de terra batida, e com as chuvas que caíram este ano em Campina Grande, a terra  cedeu e inevitavelmente abriu ,covas e o lugar onde é depositado os ossos que ficaram expostos colocando em risco a saúde dos moradores do bairro. As imagens dos ossos humanos, e até um crânio ,foram compartilhadas em vários grupos de WhastApp e facebook. Muitos moradores ficaram revoltados. O medo dos moradores é que com as chuvas, a situação se torne ainda pior devido as condições precárias do cemitério.

A Prefeitura Municipal, através da  Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (SESUMA), já tomou conhecimento do caso, e ficou de enviar uma equipe para recolher os ossos e fechar o espaço reservado para o depósito de ossos.

Apesar da situação estrutural,  no cemitério foram sepultados duas pessoas com Covid-19, de forma irregular,sendo que, uma delas , com suspeita de  ter sido feito em decorrência de apadrinhamento político conforme denunciou o líder comunitário Severino do Ramos Oliveira.

Em meio a dor, o sofrimento da perda de um ente querido, vítima de Covid-19, e a angústia de não poder fazer o velório, Severino tentou sepultar a sua mãe no cemitério, mas não o fez porque segundo informou o administrador, o enterro não poderia ser realizado lá, por falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), bem como porque existem cemitérios pela cidade que estão destinados para os casos de covid-19. Então, fizeram como indicado e procuraram outro cemitério.

Para espanto dele, na última segunda-feira, mais uma pessoa foi sepultada no local e sem o devido protocolo de segurança.  Vale lembrar que por conta da pandemia, o Ministério Público recomendou uma série de medidas a serem adotadas pelos cemitérios para o sepultamento de pessoas testadas positivas para o Covid.

Localizado dentro do bairro, fazendo limite com as casas dos moradores, o cemitério se tornou um risco para as pessoas após o sepultamento de casos de covid-19, visto que o risco de contágio do novo vírus é iminente.  Além do novo coronavírus,outras doenças que podem ser causadas pela exposição a decomposição de corpos humanos.

Uma denúncia já foi formulada junto ao Ministério Público, precisamente junto a Promotoria de Justiça de Campina Grande, Defesa da Cidadania e dos Direitos Fundamentais que deve apurar o caso.

Segundo apurou o PB Agora,  o primeiro enterro ocorreu há uns   vinte dias (um jovem da Comunidade), já o segundo foi na última segunda-feira (15), de Junho de 2020, de uma senhora que residia no Sítio Rafael e a família na Vila de Santa Terezinha.

Nesse último caso, o ex-vereador da cidade, Lafite, teria ligado o responsável geral pela administração dos cemitérios, Fernando dos Santos, e este autorizado os sepultamentos, independentemente da causa da morte. O sepultamento se deu, mesmo sem a existência de EPI`s.  O administrador geral dos cemitérios só teria pedido que o enterro fosse realizado sem muito “alarde”.

O líder comunitário ressaltou que não estava questionando o sepultamento, visto que sabe a dor de uma pessoa nessa hora difícil , mas a politicagem até na hora da morte. Muitos moradores fizeram questão de enfatizar que o administrador do cemitério do Santíssimo não teve culpa, pois obedeceu ordens superiores, colocando em risco a sua própria vida e a dos coveiros.

O PB Agora também apurou que o prefeito Romero Rodrigues e o secretário Geraldo Nobre não tinham  conhecimento do que estava acontecendo. Ligações foram feitas para o Secretário, mas ele não atendeu nem respondeu as mensagens no WhatsApp.

 

Severino Lopes
PB Agora 

Notícias relacionadas

Acidente entre trem e carro é registrado em Cabedelo, na Grande JP

Acidente entre trem e carro foi registrado no bairro do Jacaré, em Cabedelo, na noite desta quinta-feira (6). Apesar do susto, ninguém ficou ferido com o incidente. De acordo com…

Bebê de cinco meses morre asfixiado ao brincar com saco plástico, na PB

Um bebê de apenas cinco meses morreu asfixiado ao brincar com uma sacola plástica na nessa quinta-feira (06) na cidade de Teixeira, Sertão da Paraíba. De acordo com as informações…