Por pbagora.com.br

Mesmo em tempos de pandemia e de redução de despesas no Poder Público do país, o prefeito, o vice-prefeito, os secretários municipais, os vereadores e o presidente da Câmara do município de Sousa, Sertão da Paraíba, tiveram seus salários reajustados numa faixa que varia de 20% a 44%.

O aumento salarial vale para o período de 2021 a 2024 e foi aprovado por unanimidade dos vereadores da Câmara de Sousa, em sessão realizada na última quinta-feira (25), atendendo às Leis Complementares números 190 e 191/2020, sancionadas e publicadas pelo prefeito prefeito Fábio Tyrone (Cidadania), na edição desta sexta-feira (26) da Gazeta de Sousa.

Atualmente o prefeito ganha R$ 16.622,10, mas a partir do ano que vem passará a receber quase R$ 20 mil. Já o vice-prefeito, que recebe hoje R$ 8.311,05 contará com um salário de quase R$ 10 mil pelos próximos quatro anos. Enquanto isso, cada secretário da Prefeitura, que hoje ganha R$ 5.540,40, terá mensalmente entre janeiro de 2021 e dezembro de 2024, subsídios de aproximadamente R$ 8 mil.

Os membros eleitos para a próxima legislatura na Câmara de Vereadores de Sousa, terão um reajuste salarial bem maior, chegando a uma majoração na casa dos 30%. Atualmente cada legislador sousense perfaz R$ 7 mil de salários. Com o aumento, o subsídio de cada um será elevado para R$ 10 mil.

O atual presidente da Câmara recebe por mês o valor R$ 10.500,00. Por força de outra lei, o gestor tem direito a receber 50% a mais que os demais colegas de parlamento. Com a nova aprovação, o salário do presidente subirá para R$ 15 mil a partir de janeiro de 2021. As informações são Do Blogdolevi e Diariodosertao.

 

Notícias relacionadas

Covid: 20 mortes foram registradas em 24h; PB já vacinou 1 milhão de pessoas;

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta sexta-feira (07), 1.127 novos casos de Covid-19, em 24 horas. Entre os confirmados hoje, 60 (5,37%) são casos de pacientes hospitalizados…

Covid: Mais de 50 mil pessoas de outros estados se vacinaram na Paraíba, diz TCE

Na lista de vacinados na Paraíba aparecem possíveis falhas, como o uso de CPFs inexistentes de 8.973 pessoas e 341 que já estariam mortas. Inconsistências relativas à faixa etária; intervalo…