A 2ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba votou pela regularidade das Prestações de Contas Anuais (PCA), exercício 2014, 2015 e 2016, da Câmara Municipal de João Pessoa cujo presidente, na época era o atual vereador licenciado, Durval Ferreira (PP). A relatoria foi do conselheiro André Carlo Torres Pontes.

Durval Ferreira foi presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) por cinco mandatos e está em seu 8º mandato como vereador da Casa Napoleão Laureano. Atualmente, assumiu a Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O gestor ainda ocupa a função de presidente do Conselho Administrativo do Polo Extremo Oriental das Américas (Extremotec), primeiro Polo de Tecnologia de João Pessoa.

Para Durval Ferreira, a aprovação de contas é uma prova do respeito que ele possui pela população de João Pessoa. “João Pessoa me concedeu 32 anos de mandato como vereador e minha conduta à frente da Câmara é uma resposta à confiança que o povo depositou na minha trajetória como político. A aprovação das contas também é resultado de uma gestão que realizou dois concursos públicos para a Câmara e conseguiu a licença para televisão aberta, entre outros feitos. Agradeço à equipe da Câmara Municipal que esteve ao meu lado conduzindo os trabalhos de forma séria e dedicada”, afirma Durval Ferreira.

Durval Ferreira também foi o responsável pela compra e reforma do prédio anexo da Câmara Municipal, onde funciona a administração da Casa assim como a Rádio Câmara e o setor de Comunicação. No prédio, também funciona um auditório onde são realizadas as reuniões das comissões existentes na CMJP.

 

Redação com Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Após AVC, Ivan Burity apresenta melhoras e deve deixar UTI

Na manhã desta quinta-feira (2), o Hospital Memorial São Francisco, em João Pessoa, divulgou boletim médico a respeito do estado de saúde do ex-secretário de Estado, Ivan Burity. Burity sofreu…

Aposentados e pensionistas da PBPrev só precisam fazer Prova de Vida a partir de julho

O Governo do Estado suspendeu por 90 dias a realização da Prova de Vida nos órgãos estaduais. Assim, os aposentados e pensionistas do Estado que deveriam ir ao Bradesco após…