Por pbagora.com.br

Durante depoimento ao 11° Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa, no início da noite desta quinta-feira (19), o acusado de matar a estudante Haryane Thaís, Luiz Paes de Araújo Neto, negou a autoria do crime.

 

A jovem Haryane Thaís foi encontrada morta às margens da BR 230 no dia 15 de abril de 2010 e exames periciais confirmaram que ela estava grávida de Luiz Paes de Araújo Neto. De acordo com os autos do processo, Luiz tinha se encontrado com Aryane na noite anterior a que o corpo foi encontrado e o casal chegou a discutir por conta da gravidez indesejada.

 

Para a mãe da jovem, o júri pode significar um ponto final em uma história de luta por justiça, que já dura três anos e quatro meses.

 

Em 2012, a defesa de Luiz Paes de Araújo Neto entrou com um Recurso em Sentido Estrito para evitar o júri popular, mas a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba rejeitou o pedido. A tentativa da defesa de impedir o julgamento do acusado em júri popular também foi frustrada pelo Supremo Tribunal de Justiça, quando negada pelo ministro relator da 5ª Turma do STJ em 2013.

Redação

Notícias relacionadas

Nova remessa com doses de vacina contra a covid deve chegar nesta 5ª

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, informou que uma nova remessa de vacinas contra a Covid-19 está prevista para chegar nesta quinta-feira (22) ao estado, porém ainda não…

Paraibana Juliete Freire será homenageada no transporte coletivo de João Pessoa

Campanha repercutirá nos ônibus, redes sociais e também nas proximidades do Terminal de Passageiros da Lagoa. A advogada e maquiadora Juliette Freire, representante da Paraíba no reality show “Big Brother…