Mais um golpe envolvendo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) vem sendo praticado na praça. E desta vez com a ousadia dos golpistas na tentativa de se passarem por servidores e até pelo superintendente do órgão, Agamenon Vieira, oferecendo facilidades a usuários com pendências junto à autarquia. O golpe foi apurado e confirmado pela Coordenação de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança e Defesa Social.

 

De acordo com ofício da Coordenação de Inteligência endereçado à Corregedoria da Sesds e repassado à Corregedoria do Detran, o golpe consiste em mandar mensagens via WhatsApp para vários números aleatórios, com conteúdo que leva o destinatário a entender que foram enviadas por engano, sugerindo a realização de fraudes praticadas internamente por supostos servidores do Detran-PB.

 

Os golpistas oferecem retirada de multas, liberação de veículos e/ou expedição de documentos sem os procedimentos legais. Para oferecer os serviços, eles lançam uma mensagem falando que determinada situação já foi resolvida e logo em seguida pedem desculpas pelo envio da mensagem, alegando que se destinava a outra pessoa.

 

“Segundo apurado, a mensagem trata-se de um golpe que objetiva enganar pessoas que possuam pendências junto ao Detran. O golpe tem outra vantagem porque, mesmo que exista alguém que tenha “caído” na fraude, essa pessoa não irá denunciar porque o que pretendia fazer seria um ato criminoso de Corrupção Ativa (Art. 333 do CPB)”, diz o documento.

 

Ainda de acordo com a Coordenação de Inteligência, os terminais telefônicos utilizados na fraude (98185-4533 e 98107-3292, ambos com DDD 83) estão cadastrados em nome de pessoas residentes em outros Estados, nas regiões norte e sul do país, apesar do DDD local. As investigações também constataram que golpes semelhantes foram aplicados no Maranhão e Amazonas, também envolvendo servidores e até diretores dos Detrans desses estados, praticados pelos mesmos estelionatários que vêm atuando na Paraíba.

 

O superintendente Agamenon Vieira alertou aos usuários que o órgão não oferece nenhum tipo de serviço por meio do aplicativo WhatsApp e só se manifesta pelos seus canais oficiais. Ele orientou ainda que qualquer pessoa que receba algum conteúdo dessa natureza deve denunciar imediatamente pelo e-mail [email protected].

Para elucidar o caso e chegar aos culpados, um inquérito policial foi instaurado junto à Delegacia de Defraudações da Polícia Civil.

 

Redação

Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Desembargador determina novas buscas e apreensões no caso da Operação Calvário

O desembargador Ricardo Vital de Almeida determinou a expedição de novo mandado de busca e apreensão, com afastamento de sigilo telemático, no bojo da Operação Calvário, com a finalidade de…

Funcionário de shopping encontra quase R$ 7 mil em banheiro e devolve ao dono, na Paraíba

Em um exemplo de honestidade, um funcionário de shopping encontrou quase R$ 7 mil em banheiro e devolveu ao dono, na Paraíba. O auxiliar de serviços gerais Claudiano da Silva…