Por pbagora.com.br

Nesta quarta-feira (29), o juiz eleitoral Euler Jansen abordou a decisão da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Bayeux que não acatou a determinação judicial de realização de eleições indiretas no município e suspendeu os trâmites para a realização do pleito.

De acordo com o magistrado, decisões judiciais não são para ser questionadas, e sim, cumpridas.

“Decisões judiciais devem ser cumpridas para garantir o sustentáculo da democracia. Lamento que o órgão não tenha essa visão”, disse o juiz.

Entretanto, ainda segundo ele, caso os vereadores discordem da determinação do juiz Francisco Antunes, da 4ª Vara da Comarca de Bayeux, eles devem recorrer, ao invés de decidirem cancelar a eleição.

Ele ainda esclareceu que a Justiça Eleitoral não realiza as eleições indiretas, cuidando apenas dos pleitos que ocorrem normalmente de dois em dois anos.

“A Justiça eleitoral não organiza eleições indiretas. Ela só cuida de eleições diretas. Eleições que são realizadas de dois em dois anos, revezando com eleições gerais e municipais” declarou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Romero anuncia concurso para 107 vagas na Saúde e flexibilização de mais segmentos em CG

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, anunciou, através de uma live, na manhã desta sexta-feira, 7, concurso público com 107 vagas para a área de Saúde do Município. Durante…

MPPB apura denúncia de aglomeração promovida pela Prefeitura de São Bento

A Promotoria de Justiça de São Bento instaurou um procedimento investigatório criminal para apurar a possível prática de delito na aglomeração promovida pela Prefeitura Municipal de São Bento em inaugurações…