Falta de segurança para os profissionais foi o principal motivo da interdição

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de Saúde da Familia (USF) Maria Abrantes Ferreira, no município de Lastro, no Sertão paraibano, após denúncias de profissionais. A partir da zero hora deste sábado (29), a unidade não contará mais com os serviços médicos. Este é um único posto de saúde do município que tem cerca de 2,7 mil habitantes.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, afirmou que a unidade de saúde não possui segurança e uma médica vinha recebendo ameaças constantes de um paciente. “A médica estava sendo assediada por um paciente há mais de quatro meses sem que fossem tomadas medidas protetivas. A denúncia anteriormente já havia sido feita à polícia, à Prefeitura e ao Ministério Público, mas nenhuma providência foi tomada”, disse o diretor de fiscalização.

“O CRM preza pelo atendimento médico de qualidade à população e pela segurança e o respeito aos profissionais no local de trabalho. Esta agendada uma vistoria na unidade de saúde do municipo nos próximos dias. A desinterdicao ética estará condicionada à disponibilização da segurança pelo setor público”, completou João Alberto.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia apreende armas, réplica de fuzil, coletes e detém dois suspeitos

Policiais militares do 5º Batalhão, nas últimas horas desse sábado (4), recuperaram um veículo com registro de roubo e placa clonada no bairro de Mangabeira, na capital, com um homem…

Raoni demonstra preocupação com saúde e sustento das famílias

Depois de posicionamento alertando seus seguidores para necessidade de prevenção sobre o coronavírus, o pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Raoni Mendes, também demonstrou na manhã de hoje (18) preocupação…