Após vistoria realizada na sede do SAMU 192 de Campina Grande, no último dia 20, o Conselho Regional de Medicina (CRM-PB) constatou que a Secretaria Municipal de Saúde adotou as medidas de proteção sanitária para os profissionais do serviço durante o período de pandemia de Covid-19. No relatório, divulgado na sexta-feira, 24, o CRM atesta que o SAMU dispõe de estrutura física adequada como também possui Equipamentos de Proteção Individual – EPIs para os trabalhadores no enfrentamento ao novo coronavírus.

O documento do CRM informa que foi constatado na farmácia do SAMU o abastecimento dos seguintes EPIs: capotes descartáveis, capotes impermeáveis, máscara facial tipo face shield, máscaras cirúrgicas e N95, gorros, óculos de proteção individual, luvas de procedimento e luvas estéreis. O relatório também cita “a boa quantidade de álcool líquido e álcool em gel” disponível na base do SAMU.

Em relação às condições no ambiente de trabalho, o documento constata que a direção técnica do SAMU reorganizou a estrutura do prédio, separando o fluxo de circulação dos profissionais que realizam as intervenções dos demais profissionais que atuam na parte administrativa e no setor de regulação. Também foi confirmada a criação de espaços exclusivos na sede do Corpo de Bombeiros desinfecção das ambulâncias e para higienização dos profissionais quando chegam das intercorrências antes de retornarem à base do SAMU.

Avaliação – O secretário municipal de saúde, Filipe Reul, afirmou que o relatório do CRM comprova o trabalho preventivo que vem sendo feito no SAMU desde o início da pandemia. “Fomos o terceiro município a criar protocolo próprio do SAMU para o contexto da Covid-19, antes mesmo de termos casos na cidade, disponibilizando uma ambulância exclusiva para atendimento dos casos suspeitos e confirmados da doença. Além disso, aplicamos o teste rápido em todos os profissionais e o prefeito Romero determinou o reajuste de 40% nos vencimentos dos trabalhadores que estão na linha de frente da Covid-19”, destacou.

Ainda segundo o secretário, como alguns dos profissionais do SAMU dão plantão em outros municípios, como Caruaru, João Pessoa e Recife, a Prefeitura de Campina Grande está comprando estes plantões para que os trabalhadores fiquem apenas no município. “Dessa forma, a gente evita a circulação dos nossos profissionais em outras cidades, reduzindo o risco de infecção pelo coronavírus, sobretudo nos municípios que estão com índices altos de casos entre os servidores da saúde”, concluiu.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Wilson Filho critica individualismo da Unimed-JP após judicialização de lei que amplia atendimento

O deputado estadual Wilson Filho (PTB) criticou a Unimed João Pessoa por judicializar a lei 11.686/2020, denominada de “Fila Zero”, que permite ao Governo do Estado internar pacientes do Sistema…

Homem cai de altura de quatro metros em fosso de elevador em João Pessoa

Um homem ficou ferido após cair de uma altura de cerca de quatro metros na obra de um edifício na Avenida Epitácio Pessoa, no bairro de Tambauzinho, em João Pessoa,…