O deputado federal paraibano Luiz Couto (PT) é contra a Reforma da Previdência, proposta que o Governo de Michel Temer quer aprovar nos próximos dias na Câmara dos Deputados. Para Couto, contudo, a vontade do povo é muito diferente. O parlamentar destacou que a rejeição popular à proposta apresentada pelo Palácio do Planalto é elevadíssima.

“As novas regras dificultam muito o direito à aposentadoria, fazendo com que a população tenha que trabalhar por muito mais tempo antes de fruir o merecido repouso remunerado. O fundamento para o acréscimo, no entanto, não é apresentado com clareza, aparentando estar sendo imposto acriticamente. Nesse contexto, é importante notar que o Relatório Final da CPI da Previdência do Senado Federal apontou que o déficit propalado como razão das reformas sequer existe”, declarou o deputado petista.

Ele citou números divulgados pelo Datafolha no final de abril deste ano que revelaram que 71% da população eram contrários às reformas propostas pelo governo. Para Couto, esse número, já muito alto, deve estar subdimensionado. “A pedido da CUT, a Vox Populi realizou pesquisas nos dias 6 e 10 do mesmo mês pesquisado pelo Datafolha e constatou rejeição das novas regras propostas por 93% da população.

Algumas considerações levam a crer que o número maior é o mais representativo da realidade. O percentual de 71% foi apurado pelo Datafolha, ligado a grupo amplamente favorável ao governo. A falta de credibilidade desse número é noticiada em matéria do The Intercept Brasil”, explicou Couto.

Continuando sua argumentação, o deputado acrescentou que The Intercept Brasil, em 13 de abril deste ano, noticio que o governo estaria comprando apoio editorial à Reforma da Previdência. “O texto descreve em detalhes como os veículos da mídia tradicional brasileira enviesam as informações para tentar fazer a opinião pública aceitar as reformas. E a Folha de São Paulo, a que se liga o Datafolha, é citada explicitamente no artigo. Assim, é muito grave a constatação de que 71% da população se mostraram contrários às reformas nas entrevistas do Datafolha. Mesmo aqueles que querem fazer a população aceitar as mudanças não conseguem apurar número que indique apoio às alterações. Não há viés que possa ser introduzido na pesquisa que deixe de verificar a realidade — e a realidade é que a reforma da previdência proposta é contrária aos interesses da população brasileira”, garantiu Luiz Couto.

Concluindo seu pronunciamento, o deputado paraibano relatou que o momento político atual é muito curioso já que o governo tenta impor um programa de governo rejeitado pelas urnas, mas apesar do esforço dos veículos tradicionais da mídia brasileira, não consegue fazer a opinião pública aceitar essa imposição. “Isso leva a crer que estamos diante de nova fase na democracia brasileira. O povo enxerga como nunca o seu próprio protagonismo. A tentativa de usurpar a confiança depositada nas urnas não é bem percebida pelo eleitorado brasileiro, que não se deixa manipular facilmente. A internet veio fazer contraponto ao modelo oligopolista de comunicação social vigente no Brasil, e isso traz alento claro. Ao final, as urnas de 2018 mostrarão que o povo, cada vez mais bem informado, rejeita aqueles que traíram sua confiança”.


Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Eduardo Bolsonaro posta foto com rosto de Joice em cédula de R$ 3

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, postou em suas redes sociais uma montagem onde aparece o rosto da deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP) sobre uma…

Julian revela como ‘driblou’ articulação que visava eleger Eduardo Bolsonaro líder do PSL na Câmara

Um áudio divulgado pelo portal R7 nesta quinta-feira (17) mostrou o deputado federal paraibano Julian Lemos (PSL) revelando como ‘driblou’ a articulação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para alçar um…