O coordenador do Gaeco, Octávio Paulo Neto declarou durante entrevista ao Blog do Suetoni entender a decisão da juíza Higyna Josita Simões de Almeida, que manteve a prisão de cinco réus no âmbito da Operação Xeque-Mate.

De acordo com o entendimento da magistrada, ainda persistem os motivos que ensejaram as prisões.

Para Octávio Paulo Neto, a posição da juíza demonstra que “o Poder Judiciário é independente”.

Ele ressaltou ainda que a independência é um dos maiores atributos do sistema judiciário.

“Um dos maiores atributos do sistema de Justiça é que cada ator desenvolve as suas atividades com independência”, pontuou.

Com a decisão de Higyna de Almeida, continuam presos os réus: Tércio Figueiredo Dornelas, Wellington Viana França (Leto Viana), Leila Maria Viana do Amaral, Lúcio José do Nascimento e Antônio Bezerra do Vale Filho.

PB Agora

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Reaparição pública de Cássio pode ser sinal de que tucano que disputar PMCG

A reaparição púbica do ex senador Cássio Cunha Lima (PSDB) na entrega do complexo habitacional Aluízio Campos; a acolhida calorosa dos campinenses, e o elogio do presidente da República Jair…

TJ nega substituir prisão preventiva de Ivan Burity por cautelares

O juiz convocado Miguel de Britto Lyra Filho negou pedido formulado pela defesa de Ivan Burity (Processo nº 0000691-59.2019.815.0000) para substituição da prisão preventiva, contra ele decretada em sete de…