A Paraíba o tempo todo  |

Concurso AETC de Jornalismo premia profissionais da imprensa da PB em noite prestigiada

Emoção e muitas surpresas marcaram a noite desta quinta-feira (15), dia da premiação dos vencedores do concurso AETC de Jornalismo 2011. Em sua décima edição, o Prêmio AETC reuniu cerca de mil pessoas na Maison Bl’unelle para prestigiar e reconhecer o talento dos profissionais da imprensa paraibana. Mas, a noite rendeu muito mais que isso. Além da premiação dos três primeiros lugares vencedores das categorias Telejornalismo, Radiojornalismo, Internet, Jornalismo Impresso Texto e Jornalismo Impresso Foto, a Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa (AETC-JP), que promove o concurso, realizou a entrega de troféus aos representantes das TVs locais, fazendo referência, segundo pesquisa feita com estudantes, aos programas de TV mais assistidos, fez a entrega de uma menção honrosa pelo melhor trabalho sobre Transporte Público e, também prestou homenagem à patrona do concurso 2011, a jornalista e professora universitária, Joana Belarmino.

Às 22h, com o salão de festas já tomado de convidados, dentre eles, políticos, empresários, autoridades do meio jurídico, diretores de veículos de comunicação, e outras pessoas de diversos segmentos da sociedade paraibana, o diretor-executivo da AETC-JP, Mário Tourinho, deu início à solenidade com uma retrospectiva de todos os patronos do Prêmio nos últimos dez anos. Em seguida, o público se comoveu com a biografia da professora Joana Belarnimo, que cega e filha de camponeses do Alto Pajeú pernambucano, se tornou sinônimo de talento, profissionalismo e de muita superação. Em sua entrada no salão, ao som de Emoções, de Roberto Carlos, Joana arrancou aplausos calorosos do público.

No palco, ao lado de Mário Tourinho e de sua filha, Mariana, Joana Belarmino, emocionada, agradeceu a reverência, falou do cotidiano do jornalista e homenageou a mulher jornalista. “Estou transbordando de palavras de carinho e de generosidade que bebi hoje de todos vocês. Sou filha de camponeses, cega, jornalista e quero dizer que essa homenagem que me fazem hoje aqui não é só para mim, é para toda a imprensa paraibana, a UFPB e à mulher jornalista, que com ética e galhardia narram o nosso cotidiano”, disse Belarmino, que ainda no palco recebeu um quadro, com detalhes em Braile, do artista plástico Marcos Pinto, que também assina os troféus da premiação. Na oportunidade, Joana tateou a obra, que carregava uma imagem sua e diversos dizeres sobre sua personalidade. “Quero que ela enxergue o quadro com os olhos de sua alma”, salientou o artista na ocasião.

Encerrada a abertura oficial do evento e a homenagem à patrona do concurso, Mário Tourinho anunciou a chegada o momento mais aguardado pelo público: a premiação dos melhores trabalhos inscritos no concurso 2011, considerado o “Oscar da Imprensa Paraibana”. Antes disso, porém, o dirigente, em função do aniversário de dez anos do concurso, homenageou as TVs paraibanas com a entrega do troféu AETC de Jornalismo aos representantes dos programas televisivos mais assistidos pelos estudantes que frequentam os postos de recarga da AETC-JP. Foram homenageados a TV Arapuan, com o programa ‘Cidade em Ação’; a TV Cabo Branco, com o ‘JPB 2ª edição’; a TV Clube, com o ‘Jornal da Cube 2ª edição’; a TV Correio, com o programa ‘Correio Verdade’; a TV Master com ‘Estação Saúde’ e TV Tambaú, com o programa ‘Feminíssima’.

Já nas cinco categorias – JORNALISMO IMPRESSO TEXTO e FOTO, INTERNET, RADIOJORNALISMO e TELEJORNALISMO, dos 315 trabalhos inscritos, 15 foram escolhidos pelas comissões julgadoras, e um destinado à Menção Honrosa, escolhido como o melhor trabalho sobre transporte urbano na Paraíba. Para a jornalista Raquel Medeiros, do portal Nas Entrelinhas, primeira colocada na categoria Internet deste ano com um trabalho voltado para a produção jornalística de Moda, o prêmio é o sinal de que existe espaço para o jornalismo de qualidade e especializado. “É uma satisfação perceber que o jornalismo especializado tem espaço e é reconhecido. Moda é um canal que comunica história, cultura, e o prêmio valorizou isso. Estou muito feliz”, ressaltou.

Já o repórter Laerte Cerqueira, da TV Cabo Branco, que recebeu a premiação de primeiro lugar em telejornalismo, destacou o trabalho em equipe e o compromisso social do jornalismo, sempre reconhecidos pelo concurso. Laerte venceu a categoria com uma matéria sobre a disseminação e os estragos causados pelo uso do crack na infância de crianças no interior da Paraíba. “Estou muito feliz com o prêmio porque esta é uma matéria importante. A imprensa precisa atentar para esse papel social e entrar nessa luta. Na matéria mostramos que crianças de 10, 12 anos estão consumindo crack aqui no nosso Estado. Não é só aqui em João Pessoa não. É difícil ouvir seus relatos e não poder falar nada. Mas, é importante ajudar da nossa forma, fazendo nosso trabalho e brigando pela infância dessas crianças”, disse ele, que agradeceu também a toda sua equipe. “Só sou eu quem apareço, mas existe toda uma equipe por traz das câmeras e esse parabéns não pode ser solitário”, destacou o repórter.

No total, 148 profissionais dos principais veículos e sistemas de comunicação concorreram ao Prêmio. Na categoria mais disputada, a de Jornalismo Impresso – Texto, concorreram 137 trabalhos produzidos por 61 profissionais. Já na categoria Jornalismo na Internet, foram 82 trabalhos inscritos e 51 profissionais concorrentes. Já Fotojornalismo, foi a terceira categoria com o maior número de inscrições, com 37 trabalhos e 17 profissionais inscritos. A categoria TV foi disputada por 14 profissionais, que inscreveram 32 reportagens. Em Radiojornalismo concorreram 16 profissionais autores de 27 matérias. Todo profissional vencedor do primeiro lugar em qualquer uma das categorias levou para casa um troféu assinado pelo artista plástico, Marcos Pinto, e um cheque no valor R$ 2.800,00. Já o segundo colocado recebeu um prêmio de R$ 1.400,00 e o troféu e o terceiro classificado recebe e R$ 700,00 além do troféu.

Premiados

Na categoria Jornalismo Impresso -Texto o primeiro lugar ficou para a matéria “Exército de mutilados”, do jornalista Severino Lopes de Sousa, do Jornal Diário da Borborema. Em Telejornalismo venceu o jornalista Laerte José Cerqueira da Silva, da TV Cabo Branco, com o trabalho “Luta contra o crack”. Em Radiojornalismo, venceu o trabalho ‘O preço do assédio’, de João Batista Alves da Silva, da Rádio Paraíba FM. Já na categoria Fotojornalismo, quem venceu foi a jornalista Maria Juliana Bezerra dos Santos, do Diário da Borborema, com a foto ‘Calçamento de Areia’. Na categoria Jornalismo na Internet, a vendedora foi a jornalista Raquel de Medeiros Araújo, do site www.nasentrelinhas.com.br, com a matéria ‘A profissão do alfaiate mantém passado e presente sob medida’. Os jornalistas Naná Garcez e Carlos César, da Revista Edificar, receberam Menção Honrosa com a reportagem “Mobilidade Urbana’.

Segundos e terceiros lugares

Na categoria Jornalismo Impresso –Texto, venceu, em segundo lugar a matéria ‘Portadores de hanseníase da PB lutam por pensão’, da jornalista Nathielle Ferreira Bulcão, do Jornal da Paraíba. Já a jornalista Jandiara Soares Ferreira, da Revista Nordeste, venceu o terceiro lugar da categoria com a matéria ‘Problema de gente grande’. Em Telejornalismo venceu em segundo lugar o trabalho ‘João Pessoa: Rota dos ateliês’, de Clara Tôrres, da TV Correio. O terceiro lugar de Telejornalismo ficou com o repórter Richeli Bezerra da Silva, da TV Arapuan, com a matéria ‘Educação superior à distância’.

Na categoria Fotojornalismo, a foto ‘Desespero’, do fotógrafo Stanley Talião, do Jornal Correio da Paraíba, ficou com a segunda colocação. Já a foto ‘Homem passa mal e cai na avenida’, de Marcos Antônio de Araújo Gomes, do Jornal A União, foi premiada em terceiro lugar na categoria. Em Jornalismo na Internet, o segundo lugar foi da jornalista Dayana de Melo, do portal www.paraiba.pb.gov, com a reportagem ‘Internos da FUNDAC descobrem que é possível recomeçar’. O terceiro lugar de internet ficou com a jornalista Vanessa Furtado Xavier, do Portal o norte online, que venceu com a matéria ‘Caso Aryane’.

O segundo lugar da categoria radiojornalismo ficou com a matéria ‘A vida Começa aos 60 anos’, de Jacquelline Vieira Santos de Oliveira, da Rádio Cidade de Sumé. O terceiro lugar foi para o jornalista Hebert Araújo, da Rádio Guarabira FM (Correio Sat), com a matéria ‘Aprendendo com as abelhas’.

 

Assessoria

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe