Tempos de crise exigem novas atitudes. Desde o mês de abril, o Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira adotou um plano de contingência com medidas de prevenção na assistência aos pacientes, devido à pandemia do novo coronavírus. Além desses cuidados, também foram adotadas ações que beneficiam os servidores, dentro do projeto “Cuidando do Cuidador”.

O principal objetivo do plano é fazer adequações na estrutura física e no processo de trabalho dos funcionários de saúde, oferecendo maior segurança aos pacientes e às equipes.

“A visita foi suspensa, mas, o atendimento ocorre de forma regular, com medidas de higienização e de estrutura para preservar a saúde do paciente e do servidor”, disse a diretora geral do Complexo, Andrezza Ribeiro.

Uma das mudanças foi implantada na entrada do Hospital. “Quando chega uma ambulância, o primeiro atendimento é realizado dentro do veículo, em um local sinalizado, no pátio da instituição. Se o paciente estiver inquieto, é medicado e, se houver necessidade de entrar na unidade, isso ocorrerá na maca do Juliano para que não haja nenhum contato com macas externas, evitando a contaminação”, explicou a diretora técnica, Marinalva Brandão.

Foram reservados ambientes somente para os pacientes novos e outro para os usuários com sintoma gripal. Houve redução nas atividades dos pacientes, para evitar aglomeração e, como as visitas estão suspensas, os usuários estão se comunicando com os seus familiares por meio de chamada de vídeo ou por telefone.

Outras medidas incluem, diariamente, a observação diária da temperatura dos funcionários e a entrega dos EPI´s e ainda foram ampliadas as enfermarias para que haja uma rotatividade maior.

Houve ainda adequações no refeitório para que entrem menos pessoas, por vez e haja uma maior higienização e respeito à distância permitida. Também foi proibida a circulação de funcionários, pelos corredores do hospital, para evitar aglomeração e foi instalada pia e disponibilizados sabão, toalha, álcool em gel, na fila do ponto e em outros locais da unidade.

No Ambulatório Gutemberg Botelho, que faz parte do Complexo, as receitas dos pacientes, marcados para maio, estão sendo renovadas, automaticamente e aqueles que necessitam de alguma mudança de prescrição, atestado, laudo, estão sendo atendidos, de forma remota, por meio da plataforma V4H (Vídeo for Health) disponibilizado pela Secretaria de Estado da Saúde, que possibilita a realização das teleconsultas.

As consultas psicológicas e psiquiátricas estão sendo marcadas por telefone. No dia da consulta, a unidade de saúde encaminha o link da sala de atendimento e o usuário dispõe do atendimento online com o seu médico ou psicólogo. Sempre informando-os que as teleconsultas foi uma maneira para que o paciente não fique desassistido nesse período de pandemia. Após a consulta online, o paciente pode dirigir-se, com horário e data agendados, ao ambulatório para pegar a solicitação.

“É importante lembrar que todos os nossos usuários precisam fazer uso de máscaras e manter a distância de segurança, no momento em que vier ao nosso serviço”, alertou a chefe do ambulatório, Kharys Anah de Menezes.

Os números institucionais e disponíveis do ambulatório são: 3211-9809 e 99108-2895.

Projeto Cuidando do Cuidador 
Durante esse período de pandemia, o projeto Cuidando do Cuidador, que já existia no Complexo, vem surtindo bastante efeito.

“Diariamente, os profissionais de Psicologia fazem visitas, nas enfermarias,  nos três turnos, e, a partir  de uma escuta qualificada, procura  entender a situação psíquica de cada servidor do Complexo. Dependendo da demanda, o profissional é encaminhado para o atendimento grupal ou individual ou ainda pode ser conduzido para o médico psiquiatra ou do trabalho,   mediante a sua necessidade”, pontuou a diretora.

O atendimento em grupo acontece, diariamente, dentro das próprias enfermarias com, aproximadamente, seis funcionários e são abordados temas do dia-dia dos profissionais, buscando entender seus medos, angústias, ansiedades e tensões, bem como, o que está por trás desses sentimentos,  objetivando não permitir que o pânico se instale  entre os profissionais e interfira no processo de trabalho, em tempos de pandemia.

“Com estas ações, tem se observado que a equipe está mais integrada e, através de medidas preventivas e de cuidado, temos procurado buscar sempre o bem estar dos pacientes e de todos os envolvidos no processo.  Isso tudo, dentro das diretrizes da reforma psiquiátrica que vem sendo implantada, ao longo dos anos”, lembrou a diretora Andrezza.

A 10ª Semana da Luta Antimanicomial, também prevista na Reforma Psiquiátrica, ocorre de 12 a 20 de maio. Desta vez, devido à pandemia, a discussão de temas relativos à questão, estão acontecendo pela internet. O tema da Semana deste ano é: “Fazer marchar a liberdade quando não se pode ir às ruas”.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Secretário alerta que cloroquina não tem ajudado casos leves nem os graves na PB

O secretário executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, voltou a não recomendar o uso indiscriminado da cloroquina no tratamento da covid-19. De acordo com Daniel, a recomendação expedida por…

Vila Vicentina tem 11 casos de covid-19 e uma morte confirmada

Até esta segunda-feira (25), o abrigo de idosos Vila Vicentina, localizado no bairro da Torre, em João Pessoa, registrou 11 casos de idosos com confirmação para a covid-19 e um…