Um homem de 59 anos com hipertensão infectado com o vírus Sars-CoV-2. O vírus se expandiu por seus pulmões, que já não podem oxigenar o sangue de forma adequada. Os danos são tão graves que o paciente precisa do máximo de suporte respiratório para enfrentar a doença. Este é o quadro clínico de um caso real retratado pelo hospital universitário George Washington, localizado na capital dos Estados Unidos, por meio de uma tecnologia de realidade virtual de 360º que permite escanear os danos que o novo coronavírus e a resposta do sistema imunológico podem provocar nos pulmões.

O paciente, o primeiro com quem o hospital utilizou a tecnologia 3D para tratar a Covid-19, é um homem que, “fora a hipertensão não tinha outros problemas médicos”, explica o doutor Keith Mortman, chefe do setor de Cirurgia Torácica do George Washington em um podcast publicado pelo hospital. No entanto, uma rápida piora, que provocou um “dano grave e progressivo” em seu tecido pulmonar. “O dano que estamos vendo não está isolado em nenhuma parte do pulmão, é um dano amplo e grave nos dois pulmões. Este é o percurso feito pelo vírus, do momento em que infecta as mucosas respiratórias até chegar aos pulmões:

Clique e confira a matéria na íntegra

 

Fonte: EL País

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Inmet emite alerta de fortes chuvas para JP, CG e mais 112 cidades

Por meio de release o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso de perigo ocasionado por acumulado de chuva para 114 municípios paraibanos, incluindo João Pessoa e Campina Grande, hoje…

Covid-19: em dez dias, JP registra mais de mil casos da doença

Os registros diários de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus (Covid-19) ainda continua subindo na Capital paraibana após quase 60 dias de isolamento social. Em dez dias, segundo dados do Governo…