A Paraíba o tempo todo  |

Começa a valer aplicativo para facilitar adoção em Campina Grande

Começou a valer o aplicativo que facilita o processo de adoção em Campina Grande. A ferramenta entrou em funcionamento na semana em que completou 157 anos de Emancipação Política da Rainha da Borborema. Com isso, Campina Grande  se tornou a primeira cidade da Paraíba a incluir crianças e adolescentes no A.DOT, aplicativo de busca ativa que facilita o processo de adoção de crianças e adolescentes.

Atualmente, existem 11 crianças disponíveis para adoção, em Campina Grande, e mais de 3 mil, em todo o Brasil. Como forma de ajudar as famílias que estão passando por processo de adoção, o Tribunal de Justiça da Paraíba, recorreu a tecnologia e lançou um aplicativo com a finalidade de ajudar

A iniciativa, desenvolvida pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) e trazida ao estado através de um convênio com o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), começou a funcionar em Campina Grande. O objetivo do aplicativo é facilitar o processo de adoção de crianças e adolescentes.

Com a ferramenta, pretendentes habilitados podem conhecer melhor o perfil dos menores, mesmo que eles tenham perfil diferente do que procuravam inicialmente. O A.DOT também informa sobre condições jurídicas de adoção no país.

Segundo o TJPB, o aplicativo “A.dot”, é uma nova ferramenta para inclusão de crianças e adolescentes no seio da família adotiva, levando em consideração que muitos os que estão disponíveis para adoção são desconhecidos daqueles que desejam adotar.

O juiz auxiliar da Vara de Infância e Juventude de Campina Grande, Hugo Zaher, explicou que no aplicativo, as pessoas podem fazer busca ativa por estado, a fim de descobrir quais são as crianças disponíveis para adoção. O juiz, ainda falou da importância do aplicativo para as crianças que estão em situação de adoção:
“O aplicativo é importante porque ele potencializa o direito fundamental dessas crianças e adolescentes que visão conseguir uma família”, explicou o juiz.

Com o mesmo pensamento, o  juiz titular da Vara da Infância e Juventude, Perilo Lucena, ressaltou a importância na preparação das crianças para a produção dos vídeos e, principalmente, a decisão de cada um de participar do projeto, por conta própria.

Para fazer uso da iniciativa, é preciso baixar o aplicativo “A.dot”, fazer um cadastro e esperar confirmação. Após a confirmação, o interessado pode escolher o gênero, faixa etária e estado da criança; ou adolescente, que pretende adotar
 
Para a promotora da Vara da Infância e Juventude, Juliana Couto, Campina Grande adotou um aplicativo que já vem com muito êxito no território nacional e traz muita expectativa para os jovens adolescentes. “O pioneirismo de Campina vai trazer experiências positivas para o nosso estado e, certamente, viabilizar perspectivas melhores para os nossos jovens acolhidos”, afirmou.

SL
PB Agora

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe