Por pbagora.com.br

A suposta cobiça pelas joias da ex-primeira dama Lúcia Braga, que faleceu vítima da covid-19, na última sexta-feira (08), virou caso de polícia. A filha da ex-parlamentar, identificada como Marianna, foi denunciada pelo neto Wilson Leite Braga Neto, em um Boletim de Ocorrência, após ter sido flagrada tentando pegar os pertences da avó, incluindo joias.

O neto alega que Marianna tem uma ordem de restrição e não podia se aproximar dos pais, tampouco do imóvel deles.

Segundo o neto, na mesma noite que a avó faleceu, ele teria ido até o imóvel da avó para pegar uma roupa para o sepultamento e enterro, quando foi surpreendido por duas advogadas e o motorista.

“Ela teria ordenando que suas advogadas entrassem em casa e pegasse as roupas para o sepultamento, jóias e um colar de perólas sob a desculpa de que iria enterrar ela com esses pertencer. Percebi o intuito pecuniário de Marianna, que já vinha há tempos tentando derrubar a medida para ter acesso ao imóvel”, revelou o neto.

Informações divulgadas pelo programa Arapuan Verdade, nesta segunda-feira (11), ainda dão conta de que Marianna recebia uma pensão no valor de R$ 10 mil para ficar longe dos pais. Ela, inclusive, teria chegado a pedir a interdição do casal, que foi rejeitada pela justiça.

OUÇA

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Promotoria cobra implementação de políticas públicas que garantam moradia, em JP

O Ministério Público da Paraíba está cobrando do poder público a implementação de políticas que garantam moradia às pessoas em situação de rua e aquelas que vivem em vulnerabilidade social,…

Pesquisadores da UFPB descobrem nova espécie de serpente

Pesquisadores da Paraíba e de São Paulo encontraram uma nova espécie de serpente da Mata Atlântica. Os professores Gentil Alves Pereira Filho e Frederico Gustavo Rodrigues França, da Universidade Federal…