O Procon de Campina Grande está realizando desde segunda-feira, 22, a Operação Aquarela com visitação dos fiscais em lojas de lojas de tintas e/ou materiais para construção. Até hoje foram fiscalizadas 12 lojas nos bairros da Prata, Bodocongó, Catolé e José Pinheiro e autuados cinco estabelecimentos por venda de produtos vencidos e por não colocarem preços nos produtos. Até o momento mais de 50 produtos foram apreendidos.

De acordo com Rivaldo Rodrigues, coordenador executivo do Procon de Campina as empresas têm dez dias para apresentarem defesas por escrito no Procon. E os produtos apreendidos devido a sua insalubridade serão enviados a Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma) para o devido descarte.

Rivaldo explica que é criminoso vender esse tipo de produto após a data de validade expirada, além de perder a qualidade traz riscos a saúde do consumidor.

“Quando o fabricante estipula uma data de validade para um produto, após essa data, ele pode ser nocivo ao consumidor. Além disso, deixa de apresentar as características originais, caindo a qualidade do produto. Ou seja, o consumidor corre o risco de pagar caro, por um produto nocivo ou de qualidade reduzida. Por isso, é importante a população ficar atenta e nos procurar nestes casos”, reitera Rivaldo Rodrigues.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Secretário acredita em acordo com entidades para evitar greve das polícias

Em meio a possibilidade de uma greve das categorias responsáveis pela Segurança Pública do Estado, o secretário da Pasta, Jean Nunes, torce pelo êxito das negociações com as entidades das…

Clássico dos Maiorais: Campinense e Treze empatam no Amigão pelo Paraibano

A rivalidade histórica de 409 jogos dominou o domingo na Rainha da Borborema. Campinense e Treze se encontraram na tarde de hoje para mais um duelo no O Amigão. O…