A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) intensifica as fiscalizações no combate a fraudes e desperdícios, com ações em todo o Estado. Na primeira semana de vistorias, uma operação efetuada pela equipe da Cagepa na Gerência Regional das Espinharas, em parceria com o destacamento da Polícia Militar de Catingueira, flagrou um desvio de água da adutora que abastece a cidade, que estava sendo usado para uso doméstico e de animais, na zona rural.

O flagrante ocorreu no sítio Torrões, município de Catingueira. De acordo com o subgerente de Operações da Cagepa, Marivaldo Cavalcante, a companhia já vinha recebendo muitas reclamações dos moradores da região, por falta d’água constante. “Além de cometer um crime, quem furta água prejudica toda a comunidade, porque pode diminuir a oferta de água dos usuários que pagam suas contas e também impacta no valor da tarifa. Por isso, é preciso que as pessoas denunciem quando perceberem alguma fraude”, explicou Marivaldo.

Segundo o coordenador da Agência Local da Cagepa em Catingueira, Jucelino Campos de Assis, há a suspeita de que ainda existem outras pessoas na zona rural que praticam este tipo de crime, mas em horários que dificultam o flagrante. “Acreditamos que alguns estão usando a madrugada para cometer o ilícito, mas estaremos atentos para registrar o flagrante”, disse o coordenador.

Instalar bomba na rede é crime. Essa iniciativa provoca o desequilíbrio do sistema de abastecimento, provocando falta de água nos bairros. Quem perceber bombas instaladas na rede de abastecimento deve denunciar imediatamente o fato à polícia ou a própria Cagepa, por meio do teleatendimento 115. A ligação é gratuita e pode ser feita de telefone celular.

 

Redação com Secom/PB

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Saúde divulga boletim do sarampo e reforça campanha de vacinação neste sábado

O Dia D da campanha de vacinação contra o sarampo acontece neste sábado (19) e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça que mais de mil postos estarão abertos…

Crônica de domingo: “O lado obscuro dos nossos medos”

Eu ando com o mundo. Carrego todos os dias ele nas costas, como o pobre Atlas, castigado por Zeus. Eu vejo todos os dias mendigos, e a mendicância é algo…