A Paraíba o tempo todo  |

Cagepa prevê racionamento no fim do ano em CG

 Responsável pelo abastecimento de água de Campina Grande e mais 19 município do Compartimento da Borborema, o açude Epitácio Pessoa em Boqueirão, atingiu a sua menor cota de água armazenada nos últimos 10 anos. O risco de um colapso no sistema de abastecimento aumenta a cada dia. Em entrevista a rádio Correio FM, o presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, anunciou que um racionamento de água em Campina Grande até dezembro, devido a redução considerável da água armazenada no açude Epitácio Pessoa. Hoje o açude de Boqueirão está com 120 milhões de metros cúbicos o que representa menos de 30% de sua capacidade. Caso diminua para 100 milhões m³, o racionamento segundo ele, será inevitável.

Ele afirmou que o sistema técnico de distribuição da cidade tem um bom funcionamento, mas o problema se dá por conta do reservatório que está com deficiência.

Já em João Pessoa, a situação é invertida, o manancial de Gramame tem 90% da capacidade, mas existem poucos reservatórios para atender o número de ligações.

– Campina Grande tem uma distribuição um pouco melhor que João Pessoa. A Cagepa concluiu a obra de implantação de equipamentos de automação que ajuda no processo. Porém, Campina Grande recebe água de Boqueirão e há um plano de racionamento para o mês de dezembro, quando o açude chegar aos seus 100 milhões m³ – alegou.

Esta semana a Agência Nacional das Águas (ANA), em parceria com Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), divulgaram um estudo que mostra que o açude Epitácio Pessoa, reservatório que comporta 411 milhões de metros cúbicos e está com 29,9% da capacidade, tem condições de abastecer Campina Grande e cidades vizinhas até setembro de 2015.

De acordo com o presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho, o resultado apontado na simulação de consumo só será possível se forem mantidos os pressupostos operacionais preconizados pela ANA, que opera o açude com o auxílio da Aesa e Dnocs. O cálculo simula uma situação sem recargas durante esse período, ou seja, se chover, o tempo de abastecimento deve ser ampliado, explica o gestor.

“Diante do prolongamento da estiagem, tomamos uma série de providências para garantir o abastecimento de Campina Grande e cidades vizinhas. Em parceria com outros órgãos, conseguimos a proibição da irrigação, intensificação da fiscalização sobre os irrigantes, suspensão da liberação de outorgas e ações de combate ao desperdício. Além disso, a Cagepa adotou importantes medidas de redução de perdas e conseguiu reduzir seu consumo de 1,5 metros cúbicos por segundo para 1,23”, destacou João Vicente.

Segundo a Aesa, o estudo comprova que o trabalho em conjunto resultou, no ano passado, em uma redução de 40% no consumo da água do açude localizado na cidade de Boqueirão. Em 2013 o reservatório teve uma diminuição de 68 milhões de metros cúbicos no seu volume total. Já em 2012 foram gastos 115 milhões de metros cúbicos e em 2011 a extração chegou a 117 milhões de milhões de metros cúbicos.

Severino Lopes

PBAgora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe