Por pbagora.com.br

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, por unanimidade, durante sessão remota desta terça-feira (9), o projeto de lei 1701/2020, de autoria do deputado Wilson Filho (PTB) que obriga a utilização de máscaras de proteção facial em áreas comuns de condomínios residenciais na Paraíba durante calamidade pública por endemias.

“Importante a compreensão do todos os deputados em aprovar mais um projeto de lei que irá garantir uma proteção aos milhares de moradores paraibanos que moram em prédios e residenciais nos quais existem diversas áreas de uso comum. Foi um projeto pensado a várias mãos e que agora irá obrigar as pessoas a fazerem a sua parte, pois senão dezenas de outras pessoas podem se infectar com o coronavírus”, comentou Wilson Filho.

O projeto de lei define como área de uso comum: salão de festa, academia, portaria, elevador e hall de espera e outras áreas em que a aglomeração de pessoas seja possível. A infração deste PL acarretará em multa de 40 a 80 Unidades Fiscais de Referência do Estado da Paraíba (UFR-PB) – o que equivale hoje entre R$ 2.071,20 a R$ 4.142,40 – ao condomínio, podendo o síndico, seguindo seus próprios critérios, repassar o ônus financeiro para o morador descumpridor. Em caso de descumprimento por um visitante, o condômino que autorizou a entrada será penalizado com a multa.

O projeto regulamenta, ainda, a responsabilidade dos condomínios em disponibilizar em suas dependências itens de higienização pessoal, tanto para os condôminos, quanto para os visitantes. Água e sabão e dispensers de álcool em gel e álcool líquido 70% são os itens previstos no texto do projeto. O condomínio poderá, também, a seu critério, impedir a entrada de pessoas sem máscara facial, independente se elas passarão por áreas de uso comum ou não.

O projeto de lei trata também do protocolo a ser seguido em caso de infecção por um morador do condomínio. Ele é obrigado a comunicar imediatamente o síndico de sua condição. Por fim, preocupado com os profissionais de limpeza urbana e pessoas que trabalham com material reciclável, os deputados entenderam por incluir um artigo que obriga o condomínio a descartar as luvas, máscaras e lenços de papel em sacola plástica lacrada, para evitar o contágio.

 

Redação com Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Câmara Municipal de Santa Rita foi a que mais gastou com diárias em 2019

Resultado faz parte de um levantamento realizado por pesquisadores da UFPB Levantamento realizado por pesquisadores do curso de Gestão Pública da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) aponta que a Câmara Municipal…

Por falta de diálogo da PMJP, produtores de eventos realizam protesto

Na manhã desta segunda-feira (19), produtores de eventos, artistas, colaboradores e empresários realizaram um protesto cobrando diálogo com a Prefeitura de João Pessoa no que diz respeito à flexibilização para…