Quatro casos de feminicídios foram registrado em uma semana no estado. Diante do número larmantes, a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) emitiu nota lamentando a morte das quatro mulheres. Os crimes aconteceram nos municípios de João Pessoa, Campina Grande e Sousa

Através do comunicado, a Secretaria chama atenção para o combate à violência contra a mulher e incentiva a denúncia, O silêncio é cúmplice da violência”, diz a nota.

Além de se solidarizar com as famílias, o órgão lembra que as denúncias de casos de violência devem ser feitas através dos números 190 ou 197.

Confira a nota na íntegra:

Nota de Pesar e de Solidariedade

A Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) lamenta com pesar os quatro casos de feminicídio registrados, na última semana, em João Pessoa, Campina Grande e Sousa.

Cada mulher assassinada nos afeta, nos indigna e representa uma parte de nós, inseridas no contexto de opressão e violência doméstica, imposto pela cultura do machismo que demarca as relações de gênero e o controle sobre a vida das mulheres.

Alertamos para que toda a sociedade se empenhe na proteção às mulheres que vivem situações de violência. O silêncio é cúmplice da violência, já dizia o movimento de mulheres na década de 1990.

Precisamos unir os esforços, numa grande aliança, entre governo, instituições, organizações sociais, movimentos sociais, escolas, serviços de saúde, sindicatos, igrejas, famílias e sociedade para mudar a cultura machista, proteger as mulheres e enfrentar a violência de gênero.

O governo do Estado, por sua vez, vem implementando políticas públicas intersetoriais,  com ações de repressão por meio de uma parceira contínua da SEMDH com a Secretaria de Segurança e Defesa Social (SEDS); aumentando as delegacias especializadas de mulheres, implantando o Programa SOS Mulher e a Patrulha Maria da Penha. 

Na área de assistência foram criados a Casa Abrigo, Centro Estadual de Referência da Mulher em Campina Grande e Centro Regional de Referência da Mulher em Sumé, realizadas capacitações com mais de 5 mil policiais, dialogado com CREAS, entre outras ações. 

No campo da prevenção, são feitas campanhas de mídia, atuação nas escolas com a Secretaria de Educação (SEE) com o intuito de cuidar dos meninos, meninas e jovens para que sejam educados na perspectiva de igualdade de gênero, sem assimilar o machismo como prática de vida.

Buscamos e não medimos esforços para promover uma mudança de mentalidade e isso só será possível se trabalharmos unidos (as).

Nos solidarizamos com as famílias – filhas, filhos, parentes, movimento de mulheres e feminista. Pedimos sororidade em favor da vida das mulheres!

Em caso de violência contra mulheres, ligue 190 ou 197! Denuncie! 

#Naofiquecalada #Juntaspodemosmais.

 

PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governo abre Semana Nacional de Trânsito nesta quarta-feira

Celebrada anualmente entre os dias 18 e 25 de setembro, a Semana Nacional de Trânsito será aberta nesta quarta-feira (18), às 9h, no auditório do Centro Cultural Ariano Suassuna, no…

Aprovado projeto que fixa prazo de 30 dias para realização de exames em pacientes com câncer

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, por unanimidade, na sessão ordinária desta terça-feira (17), projeto de Lei 950/2019, de autoria do deputado Wilson Filho, que estabelece o prazo máximo…