O coronavírus torna-se mais ameaçador à população brasileira, se comparada com a situação de outros países mais avançados por três motivos básicos:

Primeiro – o coranavírus, em si, contra o qual não se encontrou ainda vacina;

Segundo – a indiscutível deficiência, que beira o caos, do nosso Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo, no tocante à rede hospitalar e aos internamentos;

Terceiro – o nível precário de consciência da maioria do nosso povo, quanto ao risco que está submetido, apesar de tudo que já se leu, viu e ouviu, especialmente, em países como Itália e Espanha.

Governos

Particularmente no que compete ao Governo do Estado e à Prefeitura Municipal de João Pessoa, o papel que lhes cabe vem sendo desempenhado de forma correta e satisfatória, na medida do possível, haja vista as deficiências no setor de saúde às quais nos referimos.

O governador João Azevêdo fecha o cerco no limite do território do Estado, enquanto o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, completa a difícil missão de combater o coronavírus nos limites da Capital. Tanto um quanto outro, acertadamente, “arrocham o nó” contra o inimigo invisível, que pôs a humanidade numa tremenda sinuca de bico.

Governo e Município, portanto, estão em dia com as suas atribuições.

População

Para que este cerco ao coranovírus se torne mais eficiente, é imprescindível que cada cidadão paraibano, além de tomar consciência dos riscos a que corremos, aja de modo a possibilitar o mais eficiente remédio contra o Covid 19: o isolamento e o distanciamento sociais.

Como sabemos, enquanto a ciência não encontrar uma solução preventiva ao corona não há outro remédio a não ser interromper a corrente de propagação do vírus, seja mantendo a distância entre as pessoas e permanecendo o máximo possível em isolamento social.

Lockdown

Se a população não resolver, em peso, oferecer a sua contribuição com consciência e atitude, o Governo do Estado, conforme já anunciou o governador João Azevêdo, poderá adotar a lockdown, que significa isolamento total, seja espontâneo, ou à base da força.

Na sua última das periódicas lives para orientar a população, o governador João Azevêdo disse que tem pronto um decreto adotando o lockdown, mas só lançará mão desse recurso em caso de se configurar uma situação de absoluta necessidade. Significa, portanto, que é melhor a população colaborar, para não chegarmos a uma situação de caos, evitando-se o pior.

Serraria

Na minha terra-natal, Serraria, o poder público também tem agido de forma exemplar: por determinação do prefeito Petrônio Freitas, todas as medidas de cerco à pandemia estão sendo tomadas.
Desde a orientação à população, à formação de barreiras sanitárias, passando por distribuição de máscaras, de tudo bem sido feito um pouco.

 

Wellington Farias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Trânsito e semáforos no Jardim Oceania sofrem mudanças; confira

A partir desta terça-feira (26), as ruas Luiz Alves da Rocha e Antônio Batista de Araújo no Jardim Oceania terão seus sentidos de circulação alterados. A mudança, que tem como…

Abrigo de idosos tem 14 casos confirmados da Covid-19, em João Pessoa

m Abrigo de idosos tem 14 casos confirmados da Covid-19, em João Pessoa. Trata-se do Vila Vicentina que tem oito idosos confirmados para a doença e que estão em isolamento…