Por Eliabe Castor
 
 

A medicina foi exercida inicialmente pelos sacerdotes, mas ela somente se tornou uma ciência médica após adotar métodos específicos para a pesquisa dos males humanos, rechaçando por completo o empirismo. Esses processos, que foram desenvolvidos na Grécia antiga, principalmente por Hipócrates, são oriundos da filosofia.

Assim como a filosofia se distanciou dos mitos, e, por efeito “gravitacional”, a medicina também se apartou dos sacerdotes, a ciência floresceu ao longo dos séculos, aperfeiçoando suas técnicas e salvando vidas sem a necessidade de “curandeiros”.

Através dos métodos filosóficos da busca do conhecimento, a medicina grega formou sua própria identidade. E a figura de Hipócrates tem papel preponderante na história das ciências médicas.

Considerado por muitos a figura mais importante da história da medicina, é referido como um dos grandes personagens responsáveis pelo florescimento intelectual grego, como Demócrito, Sócrates e Aristóteles.

A influência de Hipócrates na medicina atual e o “mercantilismo” da profissão no Hospital de Trauma

Qualquer graduado do curso de medicina deve se submeter àquilo que conhecemos como Juramento de Hipócrates que, em linhas gerais, tem compromisso “cartorial” com a vida humana.

Contudo, no último sábado, um grupo de médicos cooperados que atuam no Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena “esqueceu” seu juramento e sua condição enquanto ser humano. Os “anjos de branco”, em ato pouco louvável, boicotaram a si mesmos e sua honrosa profissão.

Foram 50 médicos integrantes da Neurovasc que não compareceram ao plantão, pondo em risco a vida de pacientes.
Mas, ante a “rebelião” infantil e descabida, havendo como causa o não recebimento pecuniário dos serviços prestados, o juramento de Hipócrates foi quebrado por questões “mercantilistas”, ou alguém tem dúvidas?

Direito ao recebimento de proventos, mas não ao abandono da vida humana de terceiros

É claro que esses profissionais têm o direito e devem receber seus proventos, mas com a readequação no sistema de saúde promovida pelo governador João Azevêdo, que, em coletiva realizada no Palácio da Redenção no dia 23 de dezembro, anunciou a extinção de todos os contratos com as Organizações Sociais do Estado da Paraíba, a partir de janeiro de 2020, daí uma transição administrativa está em curso.

Resultado: interesses contrários à decisão do governador começaram a surgir. Se a Neurovasc não repassou os valores pecuniários para seus médicos filiados, cabia um diálogo com o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, mas preferiram radicalizar.

Geraldo Medeiros cumpre juramento e vai para o Trauma exercer sua profissão

Preocupado com a situação, Medeiros, antes mesmo de buscar uma saída administrativa com os médicos intransigentes, saiu do seu gabinete, colocou seu jaleco e foi para o Trauma a fim de entrar na escala de plantão e exercer aquilo que a sociedade espera de qualquer profissional. Dedicação e lisura na conduta ética.

Plantão encerrado, o secretário, que é especializado em cirurgia torácica, retornou à condição burocrática de secretário de Saúde do Estado, chamou à baila os “anjos de branco” que estavam com suas asas recolhidas, e resolveu a problemática.

Na reunião ficou acordado que a Secretaria de Saúde assume a contratação dos serviços prestados pela Neurovasc, mantendo os mesmos serviços e valores nos moldes dos contratos com o instituto Acqua, OS que será descredenciada e que repassava os valores para a cooperativa de médicos. Aqueles que cruzaram os braços.

Por fim, reproduzo o Juramento de Hipócrates, para aqueles que “esqueceram” ou frequentaram a Academia com um único fito: ganhar mais e mais dinheiro, não importando a vida humana.

Texto do juramento – com adaptação aos tempos atuais

“Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência.

Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra.

Nunca me servirei da minha profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime.

Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu para sempre a minha vida e a minha arte com boa reputação entre os homens; se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário”.

Eliabe Castor
PB Agora

 
 

Por Eliabe Castor

Notícias relacionadas

Adolescente de 16 anos é estuprada após pegar carona com desconhecido, na PB

Uma adolescente de 16 anos foi estuprada em um matagal, na tarde de ontem, domingo (28), após pegar carona com um desconhecido, em uma motocicleta, no momento em que seguia…

TJPB anuncia suspensão de processos físicos; trabalhos serão mantidos de forma on-line

Nesta segunda-feira (01), o presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), desembargador Saulo Benevides, afirmou durante entrevista ao Programa Arapuan Verdade, que os processos físicos no âmbito do judiciário…