Por pbagora.com.br

 Os pedestres que frequentam o Centro de João Pessoa sofrem com o tumulto nas calçadas. A reportagem foi conferir como estão as ruas da Capital e nas proximidades das lojas Hiper até o Mafazine Luiza é difícil de se locomover e o motivo é o excesso de ambulantes vendendo de tudo nas calçadas. Sejam alimentos, roubas, brinquedos, celulares e acessórios, roupas, calçados, articos de decoração, dvds e cds piratas entre outros artigos que por uma breve parada observando tem clientela, algo que prejudica lojistas, ambulantes cadastrados e demais comerciantes que pagam impostos e funcionários e veem seus clientes comprado na frente dos estabelecimentos aos vendedores ilegais.

 

Alguns fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano-Sedurb fiscalizam vendedores ambulantes apenas observando seu trabalho e nada mais. Há uma determinação para evitar que eles invadam o Parque da Lagoa, assim, ele continua sem esse tipo de comércio no seu interior, mas no seu exterior, as ruas são tomada e não há providências para coibir isso.

 

O portal entrou em contato com a secretaria, mas até o momento não teve resposta sobre o que vai acontecer com estes ambulantes, se existe projeto de relocar todos eles para algum espaço e assim livrar a população desse problema de tumulto e ocupação irregular de calçadas.

 

A sujeira também é outro problema e não foi visto nenhum lixeiro para colocação de lixo nas ruas e calçadas da cidade e nem próximo dos ambulantes.

 

Outro ponto da cidade que foram encontrados muitos ambulantes e os mesmo problemas de locomoção de pedestres e sujeira foi na Praça Pedro Américo e ruas próximas, na mesma localidade onde fica o Paço Municipal.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cinco veículos são flagrados transportando cargas irregulares na PB

Mesmo em feriado do Dia do Servidor Público, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) realizou uma blitz, nesta quarta-feira (28), e apreendeu cinco veículos, sendo três transportando mercadoria sem…

MPPB recomenda que Município de Catingueira suspenda concurso público

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recomendou ao prefeito do município de Catingueira, Odir Pereira Borges Filho, a suspensão, no prazo de 48 horas, do concurso público regido pelo edital…