A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta quinta-feira (5), sessão especial para debater a situação da tradução juramentada no estado. A sessão, proposta pelo deputado Bosco Carneiro (Cidadania), discutiu com professores e estudantes da área a abertura de concursos para o cargo de tradutor público e intérprete comercial, que é responsável por realizar a tradução de documentos oficiais em língua estrangeira com validade no Brasil.

Para Bosco, a necessidade de tradutores juramentados vem crescendo conforme avança o desenvolvimento econômico no estado. “É um assunto importante e o nosso papel é fazer essa interlocução. É importante a Assembleia encaminhar as propostas para que, por exemplo, seja realizado em pouco tempo um concurso novo de forma a habilitar vários profissionais nessa atividade”, afirmou o deputado.

O diretor-presidente da Junta Comercial da Paraíba (Jucep), Simão Almeida, destacou que a consolidação de uma base de tradutores juramentados vai fortalecer a economia do estado. “Hoje, nós estamos pensando em investimentos internacionais aqui na Paraíba e essa atividade da tradução oficial vai ser fundamental. Então, isso vai trazer, com certeza, ganhos para o Estado e a Junta tem a responsabilidade legal de regular toda essa atividade”, ressaltou.

Atualmente, na Paraíba, existem apenas dois profissionais regulamentados, sem haver concurso público para o cargo há mais de 40 anos. A vice-coordenadora do curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), professora Kátia Fraga, explicou que a ausência de mais tradutores concursados prejudica o estabelecimento de relações e acordos comerciais do estado com outros países.

“Num estado que está se internacionalizando como a Paraíba e que está fechando negócios com grupos que vêm aqui com interesse de investir, é necessário a abertura de concurso público para diferentes línguas, porque é uma porta que se abre para novas oportunidades, além do fato de pessoas da universidade que muitas vezes vão para fora e precisam apresentar documentação que tenha um carimbo de tradutor juramentado”, concluiu Kátia.

Também participaram da sessão especial o deputado Dr. Érico; o secretário de Articulação Política do Estado, João Gonçalves; a tradutora juramentada da Paraíba, Roberta Sobreira de Souza; o presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores em Tradução (Abrapt), Roberto Carlos de Assis; o presidente da Agência UFPB de Cooperação Internacional, Yuri Paiva; a vice-presidente da Associação de Professores de Espanhol da Paraíba (APEE-PB), Josivania Lima; e a tradutora Silvia Marianecci.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PMCG define logística para coleta de lixo no Conjunto Aluízio Campos

Inaugurado no último dia 11, o Complexo habitacional Aluísio Campos, localizado no bairro do Ligeiro, em Campina Grande, está recebendo atenção por parte do poder público, também no quesito limpeza…

PMJP discute fim do estacionamento na orla de Cabo Branco

O fim do estacionamento na orla de Cabo Branco, em João Pessoa, Capital da Paraíba, começa a ser estudado pela prefeitura da Capital. A confirmação foi feita pelo prefeito da…