Por pbagora.com.br
 
 

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, em sessão remota realizada nesta terça-feira (9), projetos de lei em defesa do consumidor paraibano enquanto vigorar o Decreto de Estado de Calamidade na Paraíba, resultante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Os deputados destacaram a necessidade de minimizar os danos sociais causados pela atual crise sanitária.

O PL 1.590/2020, do deputado Felipe Leitão, aprovado por unanimidade, garante aos paraibanos o parcelamento em 12 meses dos valores de contas do serviço de distribuição de energia elétrica e de abastecimento de água e coleta de esgoto, cujos vencimentos estejam dentro do período de Estado de Calamidade Pública na Paraíba. “Após a pandemia, queremos conceder aos consumidores, que por ventura não possam honrar o pagamento de suas contas de fornecimento de água e de energia elétrica durante este momento de crise sanitária, o benefício de fazer o parcelamento sem juros e sem multas, para que ele possa quitar esses débitos”, argumentou o deputado Felipe Leitão.

Os deputados aprovaram também o PL 1.566/2020, da deputada Jane Panta, que trata do cancelamento ou remarcação de passagens aéreas e pacotes de viagens adquiridos no estado em razão da pandemia. O texto proíbe a cobrança de qualquer taxa extra ou multa ao consumidor que desejar fazer cancelamento ou a remarcação. “O consumidor, em razão da proliferação do vírus, não pode ser obrigado a viajar a seus destinos devido ao risco de contrair o coronavírus. Além de proteger os consumidores, esse medida é de Saúde Pública”, justificou a deputada.

O Legislativo paraibano aprovou o PL 1.698/2020, que garante a internação de pacientes infectados pelo novo Coronavírus (Covid-19) na rede hospitalar privada, caso não haja vagas nos hospitais públicos do Estado da Paraíba.

“O paciente em um hospital público que precise de uma UTI (unidade de Terapia Intensiva) e não tenha esse equipamento disponível da rede pública, o médico do Sistema Único de Saúde que esteja atendendo-o poderá requisitar o leito de qualquer hospital da rede privada que tenha a vaga. O princípio é a atuação imediata e de urgência. Essa lei autoriza ao médico a salvar essa vida”, explicou o deputado Jeová Campos, autor da propositura.

Os deputados voltam a se reunir em mais uma sessão extraordinária nesta quarta-feira (10), através de videoconferência.

 

Assessoria

 
 
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PL prevê restrições de salários para servidores que não se vacinarem

Um projeto de Lei de autoria do deputado estadual Ricardo Barbosa prevê que paraibanos ou residentes na Paraíba que sejam servidores estaduais ou de fundações, empresas, institutos e sociedades mantidas…

Presidente da CMJP diz que obra da nova sede terá início assim que convênio for fechado

Nesta segunda-feira 918), o presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, vereador Dinho (Avante), declarou durante entrevista ao programa ‘Arapuan Verdade’, que as obras da nova sede da CMJP devem…