Prudência. Esse é o tom adotado pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Paraíba para tratar o pedido de impeachment contra o governador João Azevêdo (Cidadania), protocolado pela bancada de oposição na última quarta-feira (05). Segundo o presidente da Casa, Adriano Galdino, a cautela se dá tendo em vista que o parlamento estadual nunca havia abordado o tema, nas últimas legislaturas.

“Vamos analisar, estudar, discutir. Pedido de impeachment é algo novo para Casa. É uma situação diferente. O que o regimento diz sobre o assunto é algo muito trivial. É preciso ter muita calma”, ponderou.

A partir de agora Galdino irá encomendar um parecer técnico da Procuradoria da Assembleia Legislativa e posteriormente fará um juízo de admissibilidade sobre o processo. No entanto,não há prazo para que isso ocorra. Ou seja, ele não precisa ter pressa alguma para isso.

O processo, se instalado, deverá seguir os mesmos trâmites já abordados pelo Congresso Nacional no caso da ex-presidente Dilma Roussef (PT). No caso da Paraíba, a Comissão Processante só será instalada caso haja votos de pelo menos 19 deputados.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Contas de seis prefeituras e três recursos entram na pauta do TCE nesta 5ªfeira

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado volta a se reunir, em sessão ordinária, nesta quinta-feira (27), para apreciar uma pauta de julgamentos com 11 processos, entre os quais,…

Podemos investe em articulações para garantir candidatura à PMCG

Pré candidata a prefeitura municipal de Campina Grande, a secretária estadual de Desenvolvimento Articulação Municipal, Ana Cláudia Vital do Rêgo, disse que o Podemos está conversando com outros partidos, e…